domingo, julho 20, 2008

Um filme tão simples só pode brilhar!



Já lhe tinha pegado uma vez. Quase o trouxera para casa mas, por qualquer razão, acabou trocado por outro filme qualquer. Ontem, no Videoclube (mas se já não há cassetes de vídeo...) voltei a reparar na caixinha de ONCE. Como não vi mais nada que me agradasse lá lhe peguei, desta vez a decisão de o trazer para casa estava tomada. E trouxe.
Sinceramente não fazia a mínima ideia do que estava realmente a fazer ou do que iria ver. Muito menos ouvir! ONCE foi uma surpresa agradável. Trata-se de um musical estranho e pouco usual. As personagens quase são mais reais que nós prórpios e o registo cinematográfico, por vezes, dá a sensação de estarmos perante um documentário ou um filme caseiro.
A narrativa desenrola-se com clareza e suavidade numa Dublin pouco exuberante e, aparentemente, realista. E é de realismo que se pode falar quando se fala de ONCE. Uma espécie de realismo mágico, com a magia a deixar-se vislumbrar na forma positiva como as personagens se empregam na perseguição dos seus sonhos. Mesmo que isso as impeça de serem felizes, ou totalmente felizes. Confuso? O melhor mesmo é ver o filme. Vale a pena.

5 comentários:

expressodalinha disse...

OK. Vou ver. Obrigado pela dica.

Silvares disse...

Podes acreditar que vale a pena.

Eduardo P.L. disse...

Estou quase certo que meu Mestre terá no meu amigo Jorge, um grande amigo! Algo, sempre me disse que sim!
Acho que é a cultura e inteligencia de ambos!

Boa semana para todos!

ana.bravin disse...

Gostei da dica. Gosto de filmes assim, principalmente com atores desconhecidos. E esse jeito de filmar, como um documentário, estah sendo cada vez mais explorado pelos diretores. Bom demais ;)

jo-zéi disse...

"ONCE...IN A LIFETIME"- dos geniais Talking Heads(falam, falam...).
Som calminho para apaixonados...