sexta-feira, julho 25, 2008

2º Tempo

Why so serious? Ou porque são os vilões tão mais interessantes do que os heróis? A resposta está neste filme. A personagem do Joker é realmente uma construção monumental do defunto Ledger, ofuscando o resto. Cada cena com o Joker é uma descoberta e os diálogos entre ele e o Batman expõem e desenvolvem algumas ideias terrívelmente românticas que, noutro contexto, poderiam soar a lamechice mas ali caem como bombas.
Gostei. A palavra gostar não se aplica bem mas não me apetece pensar muito nisso. Fica assim mesmo.

6 comentários:

roserouge disse...

Ainda não vi, mas pelo que tenho lido...acabei de aconselhar o Expresso da Linha a ir ver este.

Jo-zéi F. disse...

Já se fala num óscar póstumo para o Heath Ledger.
RUI: O que achas???
Pelo que vi no trailer, o homem está POTENTE!!!

Silvares disse...

Rose, e aconselhaste muito bem. O filme não é "normal", é uma encenação poderosa sobre as fronteiras do "bem" e do "mal".

Jo-Zéi, mais do que potente. Mas o filme vai para além do Joker, se bem que ele é a sua principal luz. Luz negra, no entanto, o tom dominante.

Francine Esqueda disse...

Cada coisa que leio referente a este filme e a atuação, quase tenho um treco!!! Acredita que ainda não fui ao cinema ver o filme??? Só ouço otimos comentários, inclusive que o morto levará um oscar!!!
Abraços apertados,
FRAN

roserouge disse...

O morto levará um oscar?

Silvares disse...

O oscar talvez vá ter com o morto. Será mais saudável!
:-)