quinta-feira, maio 10, 2007

(mais) Um grande Eisner

Hoje fui à FNAC de passagem (tinha ido ao centro comercial para comprar uns ténis) e encontrei esta nova edição de Will Eisner em Português. Folheei e meti debaixo do braço. Saí do centro comercial sem ter comprado os ténis mas vinha satisfeito por ter encontrado o velho mestre, ali na prateleira, como se estivesse mesmo à minha espera.
Trata-se de mais uma novela com uma personagem de origem judaica, o velho Fagin, terrível malfeitor em Oliver Twist de Charles Dickens. Eisner conta-nos a história que Dickens "omitiu" para nos mostrar que Fagin não é um malfeitor por ser judeu mas sim porque as circunstâncias da vida o transformaram naquilo.
Mais um conto de fundo moralista do velho mestre da Banda Desenhada (ou dos Comics, dependendo do lado do Atlântico de que se olha a obra de Eisner) com uma narrativa fluente e sequências de imagens irrepreensíveis. Eisner é, realmente, um dos maiores autores de todos os tempos nesta coisa da 9ª arte.
Aqui há dias li que Frank Miller está a preparar uma versão cinematográfica de The Spirit, a mais famosa das personagens criadas por Will Eisner. Aguardo com curiosidade o resultado. Não deixará de ser interessante verificar como irá o sanguinolento autor de Sin City (ou do mais recentemente adaptado 300) interpretar a personagem de The Spirit que é quase pueril quando analisada sob os parâmetros actuais das personagens de acção. Certamente uma estranha simbiose. A ver, quando for caso disso.
Fica o link para aqueles que não sabem bem de quem se fala quando se fala do Mestre Eisner http://willeisner.tripod.com/.

3 comentários:

Eduardo P.L. disse...

Vou correndo no link!

Silvares disse...

Este é mestre mesmo! Os prémios mais importantantes dos comics americanos são os... Eisner, uma espécie de Óscares dos Quadrinhos (para usar a palavra brasileira, em Portugal chamamos Banda Desenhada). O desenho dele era espectacular (faleceu em 2005) e a sua capacidade para compor uma página com narrativa dinâmica por imagens em sequência (ufa, complicado, não?) inexcedível. Desde "moleque" que copio a arte sequencial deste senhor. Um mestre, com todas as letras.

Lord Broken Pottery disse...

Silvares,
Bela indicação. Irei na segunda, agora já é tarde, na FNAC aqui da avenida Paulista, ver se acho e compro. O mundo é mesmo uma pequena aldeia.
Grande abraço