domingo, junho 24, 2007

Uma lufada de... fumo fresco!?


Diploma deverá consagrar a livre opção nos estabelecimentos mais pequenos
Lei do tabaco mais restritiva entra em vigor a 1 de Janeiro de 2008

As negociações ainda não estão terminadas, mas o essencial, a face mais visível do novo regime, está definido: em matéria de estabelecimentos de restauração e hotelaria, o PS passou de uma proibição total de fumo nos espaços mais pequenos para a livre opção por parte dos proprietários. Estes vão poder escolher se querem um estabelecimento livre de fumo, só para fumadores ou misto, desde que consigam garantir a qualidade do ar no espaço para não fumadores. Era o sistema defendido por PSD e CDS/PP e por isso, na última reunião do grupo de trabalho, as posições aproximaram-se. http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1297599

Finalmente uma decisão correcta por parte de quem manda nesta coisa à beira-mar plantada. O volte-face registado nas intenções legislativas em relação ao tabaco em locais públicos como cafés, restaurantes ou discotecas, mostra um pouco usual bom senso vindo dos lados do poder. Como se impunha a decisão de permitir ou não o fumo nesse tipo de estabelecimentos caberá a quem os gere e a quem os frequenta, numa rara afirmação de confiança na liberdade de opção de cada um de nós, cidadãos da República Portuguesa.
Na minha qualidade de fumador aplaudo a decisão. Garanto que, no entanto, continuarei a não fumar em restaurantes por considerar que, ao fazê-lo, posso estar a interferir de forma intolerável no bem-estar de outras pessoas. Mas essa decisão é minha, não aceito que me seja imposta. Deixa de haver ameaças de multa e proibições totais, cada um poderá optar de acordo com os seus interesses e perspectivas de vida, por assim dizer.
Só espero que esta atitude alastre a outros campos da vida em comum. Estamos perante uma saudável lufada de... fumo fresco em questões de liberdade individual!

2 comentários:

Eduardo P.L. disse...

Goste. Muito bom. Aplausos por todas as razões por você esplanadas.
Eu não fumo, mas defendo o direito de escolha das pessoas. Minha mulher fuma desesperadamente!

L.Reis disse...

Nem mais!! Os fundamentalistas da saúde "enervam-me", com a sua desesperada luta para morrerem saudáveis, tb me "enervam" estas intrusões na liberdade individual, disfarçadas de outra coisa qualquer. Também eu, por respeito e delicadeza, me certifico de que não estou a incomodar ninguém, ao fumar... Com tantos atentados que se cometem, diariamente, contra a saúde pública parece-me quase risível esta preocupação dos nossos governantes...mas, se pensar melhor, quase tudo o que se tem passado, ultimamente, neste país é de rir até às lágrimas e digo rir porque chorar já nem vale a pena