sábado, junho 09, 2007

Um rio entre 2 planetas

Uma das coisas mais interessantes que se podem fazer em Lisboa é um gajo encostar-se a uma parede na Rua do Carmo ou por ali perto e ficar a olhar as personagens que sobem e descem, entram e saiem, páram e olham, ficar ali a ver pessoas. Simplesmente.
A extraordinária variedade dos tipos humanos a desfilar ali, na passerelle, até apetece ter uns cartazes com números e dar pontuações. 5, 8, 10!!! Se um gajo estiver suficientemente descontraído pode gozar o espectáculo sem dar conta da passagem do tempo.
Depois, fazer a viagem de regresso para a Margem Sul (de regresso ao deserto:-) e ir até ao centro comercial do Almada Fórum, repetir o exercício de observação. É impressionante a diferença. As diferenças. As pessoas vestem-se de outro modo, penteiam-se de outra maneira, caminham de forma diversa, parece que mudámos de planeta! Há toda uma outra forma de estar e de parecer, eventualmente outra forma de ser. A separar estes dois planetas apenas um rio e uma ponte. Redescobre-se a maravilhosa variedade da animalidade humana. Um estrondo!

4 comentários:

Eduardo P.L. disse...

Ótima observação. É só ter tempo, e olhos para ver!

Forte abraço.

Anónimo disse...

helas! C´est la vie! Cést la belle realité!

Jo-zéi F. disse...

Que mundo maravilhoso!...(?),como cantava o Sr. Louis Armstrong.
E os DEVO : For you,for you,...not for me.

Silvares disse...

Somos lindos!