sexta-feira, setembro 12, 2008

Da pintura

O Sonho de José, Paula Rego



A pintura é uma coisa suspensa.
Resulta da interrupção de um último gesto e ali fica, eternamente inacabada, à espera do olhar que a completa.
A pintura completa-se no interior da tua cabeça.
A pintura, suspensa no tempo, espera por ti. Será tudo o que fores capaz de fazer dela.
Quando a olhas ela brilha de vaidade, ajeita-se e faz pose, arma-se em boa.
Insinua-se, tenta seduzir-te.
Quer contar-te uma história.
A tua história.
A pintura, sem o saber, é como tu.
E tu és parte da pintura que contemplas.
Ela dir-te-á aquilo que quiseres saber.
Sejas tu capaz de a ver e ela mostra-se.
Seja ela capaz de te descobrir e irá ao teu encontro.
Texto para O Espírito da Coisa

7 comentários:

Eduardo P L disse...

Silvares,

Além do Espirito da coisa, é perfeito para Duas palavras no Varal!!!!

abçs

Silvares disse...

:-) agradeço, como sempre...

disse...

Brilhante...

Jo-zéi F. disse...

Gosto das pinturas da Paula Rego.
Vi uma pintura dela na Colecção Berardo que gostei bastante, não sei se conheces, com uma dimensão considerável.
Boa Surpresa.
...técnica do pastel impecável e as temáticas sempre estimulantes.
:-)))

Silvares disse...

Ví, obrigado.

Jo-Zéi, a Paula Rego é a maior.

Manuela Araújo disse...

Sivares,

Fabuloso este texto... visão masculina... fabuloso!

... e o Bolg *****

Silvares disse...

Manuela, obrigado pelo elogio, até corei!
:-)