quarta-feira, abril 11, 2007

Obituário

SOL LEWITT / Wall drawing
Sol Lewitt @ Met Roof Garden


O artista norte-americano Sol LeWitt, um dos principais nomes da arte conceptual, faleceu no domingo em Nova Iorque, vítima de cancro.LeWitt, de 78 anos, nasceu em Hartford, numa família de imigrantes russos, formou-se na Universidade de Syracuse, Nova Iorque, e viveu nos últimos 20 anos em Chester, no estado de Connecticut.Muito do seu trabalho artístico baseou-se em variações com esferas, triângulos, cubos e outras formas geométricas. Na opinião da crítica, o artista contribuiu, com a sua obra, e em particular com os desenhos murais, para uma reavaliação das relações entre os conceitos e os materiais.
Nota retirada de "O Primeiro de Janeiro" online http://www.oprimeirodejaneiro.pt/

Lá vai outro! Quando um artista morre sinto sempre uma certa indisposição, não sei se pequena ou grande, é um buraquito que se revela em lugar até aí insuspeito. Uma falha, uma falta, uma ausência apenas atenuada pelas imagens que ficam.
Não sou grande apreciador de arte conceptual. Esforço-me por compreendê-la mas não sinto entusiasmo particular. Nesse aspecto sou muito conservador e continuo fascinado pelos "primitivos" flamengos acima de todos os outros (Van Eyck é Deus).
Isso não me impede de admirar quem possui uma visão e a partilha com o mundo de forma honesta e apaixonada, por muito distante que se encontre dos meus paradigmas maiores.
Sol LeWitt foi um artista apaixonado e coerente, contribuindo com o seu trabalho para a construção de um certo imaginário moderno e contemporâneo.
Que descanse em paz e encontre Deus.

2 comentários:

Eduardo P.L. disse...

Aqui na PIACABA onde moro não chega jornal. Um amigo veio de São Paulo me visitar e com ele O ESTADO DE SÃO PAULO de 10/04. A noite li. E a notícia era essa. A morte de SoL LeWitt.Estava pensando em postar uma homenagem, e você saiu na frente. Esta perfeita. Eu particularmente havia visto trabalhos dele na 23*Bienal de São Paulo em 1996, e não achei nada de especial os grandes murais pintados naquele mesmo ano. Nessa mesma Bienal tinha algumas obras de Basquiat ( que só havia visti em fotografia)que me chamaram muito mais a atenção.
Morre um dos precursores do minimalismo. Perde as artes . Ótima postagem.

Celia disse...

Eu não conhecia este senhor, mas agora vou investigar um pouco mais, gosto em especial da segunda imagem. Claro que não percebo nada de artes plásticas, só o que sinto quando vejo... o que às vezes pode não ser igual conforme os dias, o tempo, os humores...

E continuando o meu "assédio", anda, anda, anda para os nossos blogues :)