terça-feira, abril 17, 2007

Contra o fanatismo

Este livrinho (pela imagem dá para ver a dimensão da coisa) hoje distribuído com o Público merece leitura. O 1º texto, "Da natureza do fanatismo" constitui uma reflexão extremamente lúcida sobre os mecanismos que põem em movimento as fábricas que produzem em massa os fanáticos de todas as naturezas. O leitor (aconteceu comigo) fica a perceber melhor os seus próprios fanatismos, pequenos ou grandes.
Na verdade ninguém parece estar imune à infecção que provoca essa pandemia ancestral, responsável por tanta violência desnecessária (bem basta aquela que é inevitável!) pelo que não é de desprezar a possibilidade de uma consulta com este especialista em fanatismo.
"Contra o fanatismo" está para o fanatismo como "Meu filho, meu tesouro", está para todos os que acabam de trazer um filho a este mundo. Simples, directo, escrito por um especialista e com uma lógica desarmante, sem paternalismos nem sentimentalismos de trazer por casa, os textos de Amos Oz ajudam-nos a arrumar ideias e descobrir, finalmente, o que está por detrás da porta. Aquela coisa que sabemos estar lá, escondida, mas que receamos ver e, por isso, nos leva a manter a porta fechada.


2 comentários:

Eduardo P.L. disse...

Silvares, este do Amos Oz ainda não li. Os outros li todos, e gosto muito da maneira que ele escreve.Vou conferir! Abçs.

Silvares disse...

Para mim foi uma estreia. Vou fazer o mesmo que tu só que vou ter muito para ler! Gostei da forma clara e, por vezes, bem-humorada como ele se refere a questõe bem complicaditas...