quarta-feira, janeiro 09, 2008

"Ética da responsabilidade"

Está provado. Para quem ainda tivesse dúvidas, a atitude do primeiro ministro, impondo a ratificação do tratado de Lisboa na assembleia da república, mostra a impossibilidade de fazer coincidir a verdade com a realidade. A verdade é que Sócrates prometera promover um referendo sobre o tratado. A realidade é que não tem tomates para o fazer.
Sócrates, já se sabe, tem a coluna vertebral de uma alforreca corcunda e veio agora inventar desculpas um tanto esfarrapadas para justificar a sua falta de palavra de honra. Ainda por cima fala em "ética da responsabilidade" o que, trocado por miúdos, significa que, no universo mental deste governante, a ética se caracteriza por uma volubilidade lamacenta e é adaptável às suas necessidades particulares. Seria necessário discutir com o 1º ministro o conceito de Valor, coisa que, para ele, pelos vistos não faz grande sentido.
Maledicência e desespero à parte convém frisar que está provado. Sócrates é capaz de tudo até de se intitular engenheiro. Para ele os fins justifcam os meios.

3 comentários:

João disse...

Isto que se chama democracia não passa de uma ditadura disfarçada.Toda a gente pode falar,dizer o que quiser,manifestar-se enquanto os gajos no poleiro se riem e dizem que acham bem que as pessoas se manifestem,porque vivemos em democracia,em liberdade.Pura ilusão a democracia não tem nada a ver com liberdade.Então é bom viver em democracia não é?

Olaio disse...

"...que homem é este que nos governa que não hesita em enganar-nos de forma tão deliberada, com tanta desfaçatez, e desprezo pelos outros? É sem dúvida um homem perigoso."
Pacheco Pereira acerca de Sócrates no Blog "Abrupto".

Silvares disse...

Ditadura não diria... pelo menos por enquanto. Mas lá que o "engenheiro" é perigoso...