quinta-feira, janeiro 03, 2008

Canção de escárnio



A Fondació Miró acaba por ser um bom exemplo de exploração eficaz de um mito. Miró é um artista estudado, citado, observado, comido, bebido e, consequentemente, mijado e cagado com uma frequência bastante respeitável.
O visitante entra. Circula. Contacta. Sorri aqui e ali. Sobe escadas. Desce escadas. Vai até ao terraço. Miró grande, Miró pequeno, Miró tridimensional (o melhorzinho na minha opinião), Miró em pé, Miró deitado. Após meia dúzia de minutos Miró chateia. E após a visita total Miró é chato.
Os visitantes fazem uma fila jeitosa, alinhadinhos desde a paragem de autocarro até à porta. Uma bicha pouco sinuosa, com uma curvazita apenas a fim de virar a fronha à entrada principal do edifício. A entrada custava o habitual, 7 ou 8 €uros, por aí assim. Bastante papel ao fim do dia! O material exposto é Miró e pronto, tá tudo dito. Eu sei que não devia ser tão maledicente em relação ao trabalho deste mestre catalão mas, a verdade, é que gosto bastante daquilo que está na base do seu imaginário mas não posso aplaudir aquilo que vi em exposição, naquele dia.
Está bem, pois. Mas que raio de coisa faz este vídeo a ilustrar este post!?
Ah, é verdade, não parece ter nada a ver pois não? Mas tem. Quem já o viu reparou decerto que se trata de uma exposição temporária patente na Fondació Miró até ao dia 13 de Janeiro do presente ano. Uma lufadita de ar fresco no ar pesadão da exposição actual. Ai Miró, amiguinho, nunca pensei dizer tanta bujarda a teu respeito mas teve que ser. Desculpa lá o mau jeito. Abraço.

6 comentários:

Eduardo P.L. disse...

Silvares,

tive exatamente a mesma impressão quando visitei o Museu em Barcelona!

E era outra mostra, com certeza!

Abçs

Me desculpe Miró!

Silvares disse...

Pois é, tinha estado ali há uns 18 anos atrás e havia uma sala com desenhos e gravuras de Miró que me deixou fascinado. Desta vez não estava lá nem um desenhinho nem nada. As coisas mudam, nós mudamos...mas que há muito consumo cultural lá isso há! Uma pessoa vai ao museu como se fosse a um McDonald's!

LUIZ SANTILLI JR. disse...

Que coragem, Silvares!

Desafiar a ira dos politicamente corretos com uma opinião tão contundente sobre a mostra de Miró!
Porém estou contigo, destesto a unânimidade, visto ser burra, como dizia nosso poeta Nelson Rodrigues.
A sinceridade cultural será a única forma de erradicar as desgraças deste mundo!
A começar pelas simbologias idiotas!

Abraço

Jo-zéi F. disse...

o que é demais não presta. Chateia!

Silvares disse...

Luiz, dizer o que pensamos é sempre politicamente incorrecto!
:-)
Jo-Zéi, ainda eu não abri o bico em relação ao Museu Picasso... ai, ai...

Jo-zéi F. disse...

O PICASSO tb fez muita merda no meio de tanta genialidade.É verdade.