quarta-feira, janeiro 27, 2010

Sim, talvez e... então o que temos agora?


É uma notícia curiosa: "Um grupo de pesquisadores italianos quer exumar o corpo de Leonardo da Vinci para reconstruir o rosto do artista e confrontar a teoria de que o famoso quadro Mona Lisa seria um autorretrato. (ler todo o desenvolvimento aqui)"

Ao ler esta notícia não pude deixar de pensar naquelas situações em que estamos tão profundamente convictos de algo que encontramos provas inequívocas da veracidade dos nossos sonhos nos mais leves indícios. Uma sombra logo nos revela um corpo, um traço imperfeito mostra-nos de imediato a adivinhada perfeição da forma.

Neste caso particular até acredito que haja um bom fundo de verdade na ideia dos ditos investigadores. Mas serão eles capazes de reunir um conjunto de provas suficientemente fortes para sustentarem a sua tese? Parece mais do que muito complicado encontrar essas evidências. No entanto a ideia está lançada e é de tal modo aliciante que muitos de nós estão já dispostos a aceitar a hipótese colocada como sendo parte integrante da realidade (aquilo que costumamos considerar "A" verdade).

Aqui chegados importa reflectir sobre a fronteira entre uma e outra, quero dizer: onde começa a verdade e acaba a realidade? Ou vice-versa.

6 comentários:

Eduardo P.L disse...

Fiz um post sobre o assunto, e não sei porque cargas d´água não apareceu ainda no Varal. Mas o que importa da notícia é que não tem importância nenhuma! Ao contrário do que vc possa pensar, eu acredito que ele era muito mais feio e competente como artista para se auto-retratar de forma tão feminina, e por que não dizer bela! Sabendo, como sei, que não era um HOMEM muito convicto, nada me leva a crer que procedam essas fantasias! O quadro mais famoso do mundo, nem tem méritos para tanta fama, e só irá ficar ainda mais famoso com essas tolices a seu respeito!

Selena Sartorelo disse...

Olá Rui,

Lendo o seu post anterior e confirmando o conceito que tenho sobre a simplicidade ter mais credibilidade quando o corpo é próprio em conhecimento e sentimento, leio esse texto que em esferas bem mais simples apavora e emudece pela duvida do que é ou não real...

Caçador disse...

E daí? Porque é que não deixam o senhor estar morto em paz?... Olha que coisa.

Lina Faria disse...

Há muitas especulações sobre la gioconda.
Não teve uma que afirmava ser o dorso de umm garotão, na horizontal?
Agora, eu, pelo menos, nunca ví um retrato do artista quando jovem.
Nas imagens publicadas, sempre ancião.

Silvares disse...

Eduardo, também me parece um assunto pouco interessante mas penso que dá para reflectir sobre algumas "certezas" que temos.

Selena, um dia a minha filha tinha para 10 ou 11 anos, não me lembro bem, e tentava explicar à mãe o papel de uma personagem num filme que tinha visto e disse-lhe " era um homem que não sabia a diferença entre a verdade e a realidade." Eu e a mãe ficámos espantados. Desde esse dia que a Verdade e a Realidade são coisas diferentes para mim.

Caçador, o problema é que um gajo como Leonardo não está bem morto... nem vivo. Deve ser a coisa mais próxima de um zombie que anda por este mundo. Ninguém o deixa em paz por ser zombie, antes pelo contrário.

Lina, sempre velho. Eternamente velho? Talvez não se esta hist´ria for verídica e vier a provar-se teremos um Leonardo rejuvenescido. Eternamente jovem, apesar do vestidinho...

Chapa disse...

Ainda vão concluir que o homem era gay e que o retrato é do Leonardo no seu vestido de noiva. Esta gente não tem mais que fazer, sei lá, podiam pintar um quadro.