domingo, janeiro 03, 2010

Encontro casual em dia de tempestade


Desde há uns quantos anos que nutro pela obra pictórica de Francis Bacon uma admiração fanstasmagórica. Vi uma grande exposição dos seus trabalhos em Serralves, depois tive a sorte de voltar a admirar pinturas de Bacon quando estive em Nova Iorque e agora, nesta minha visita a Dublin, voltei a cruzar-me com o bonacheirão pintor irlandês.

Foi na Dublin City Gallery, The Hugh Lane, onde está patente ao público Francis Bacon, A Terrible Beauty. Trata-se de uma exposição com alguns aspectos bastante curiosos, destacando-se a recriação do estúdio do pintor com toda a sua inacreditável confusão e lixaria, uma imagem de marca. Tentam também mostrar alguns dos elementos de trabalho e inspiração do mestre Bacon, nomeadamente extensas colecções de fotos de onde se destacam as de Muybridge.

Telas recortadas, telas inacabadas, rabiscos parecidos com desenhos (muito poucos, Bacon não desenhava?), recortes de revistas e lixo. Muito lixo. Perante aquela profusão de coisas meio escanifobéticas não resisti e saquei da máquina fotográfica para uma fotozinha (a ilustrar este post). Não havia mais ninguém na sala mas, mal premi o botão, apareceu um gajo pequenino e mal penteado que me disse numa voz fininha "no pictures, sir"(vá lá, sempre me tratou por 'sir'). Eu ainda tentei um "I'm using no flash" (qualquer coisa assim que o meu inglês não desliza com grande perfeição, nem no gelo de Dublin). O gajinho manteve a cara fechada como um molusco viscoso e continuou a abanar a cabeleira oleosa. Pronto, o que tem de ser tem muita força.

Continuei a minha visita sem fotos mas sempre fiquei um pouco mais íntimo de Francis Bacon, um dos meus heróis da pintura.

9 comentários:

Eduardo P.L disse...

Meu também!

Anónimo disse...

vc e eduardo são meus mestres. eu não conheço quase nada do mestre de vcs, que tal um curso online sobre história da arte contemporânea?
abs
madoka

Eduardo P.L disse...

Madoka,

nosso MESTRE é o Silvares! E ele dá essas aulas em seus blogs!

12 Efe
100 Cabeças
Carapau Staline

É só acompanha-lo com atenção!

Lina Faria disse...

Já morei em uma rua chamada Francisco Leitão.
Todos os dia me lembrava de Francis Bacon, de quem adoro. hehehe...

MUMIA disse...

Nas pinturas do Bacon há sempre uma certa perturbação, como se estivesse para acontecer uma tragédia eminente.

Gostos das fotos retalhadas,...há uns tempos vi na tv um documentário onde mostrava o atelier do Bacon...muita "porcaria" junta, tinta, bocados de pano, folhas de revistas e jornais...etc.
CAOS Completo.

Luma Rosa disse...

Garanto que o seu inglês não escorregou no gelo de Dublin! Digamos que pictoriamente você ficou chocado com tanto expressionismo (rs*). Esse efeito catártico sempre se faz sentir em seu trabalho.

Feliz ano novo!! Beijus,

Silvares disse...

Eduardo, Bacon é mesmo um caso especial. Quanto aos blogues, este ano o 12Efe tem estado muito parado pois este ano não estou a leccionar História da Arte. Estou a dar aulas de Desenho que me preenche mais e melhor.

Madoka, vou procurar em posts antigos (pois acho que Bacon já deu para escrever aqui qualquer coisa) e depois te digo.
:-)

MUMIA,nesta exposição mostra-se como dese caos saíam aqueles pequenos milagres de ordem e terrível beleza .

Silvares disse...

Olá Luma, bom ano para si também!
É, tem razão, o expressionismo pict´rico deixa-me sempre em estado de pura exaltação!
:-)

Jo-zéi F. disse...

rui:...é bem verdade.