quinta-feira, janeiro 14, 2010

Na sequência do post anterior


Nem de propósito! Após a leve reflexão aqui ontem colocada sobre o discurso ecológico dos mais altos represnetantes da igreja católica, um pouco por toda a parte, eis que surgiram ecos da reacção do Vaticano relativamente ao filme "Avatar":


Vaticano critica ‘Avatar’
O jornal L’Osservatore Romano e a Radio Vaticana, ambos ligados ao Vaticano, qualificaram o filme Avatar, de James Cameron, como simplista e criticaram-no por trazer doutrinas modernas que promovem o culto à natureza como substituto da religião.O porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, disse que embora essas avaliações sejam apenas resenhas cinematográficas, sem peso teológico, elas refletem a visão do papa Bento XVI sobre os perigos de converter a natureza numa “nova divindade”. O pontífice tem falado frequentemente sobre a necessidade de proteger o meio ambiente, mas advertindo que não se pode equiparar o ser humano com outros seres vivos, para não cair num neo-paganismo.


Parece existir uma certa necessidade de marcar território por parte do Vaticano. Como de costume, a igreja vem com a conversa de que está tudo muito bem mas quem sabe e pode discursar sobre as coisas do mundo com autoridade é ela própria. É por estas e por outras que a igreja ora avança ora recua nas suas intenções de se afirmar como força de liderança nas grandes causas da humanidade deste lado do planeta religioso. Nos tempos que correm não há grande pachorra para aturar atitudes autoritárias mal disfarçadas como são, normalmente, as que o Vaticano nos vai oferecendo, mesmo quando não lhe pedimos nada. A crítica cinematográfica não é, de todo, o ponto mais forte dos "masters" do Vaticano.

9 comentários:

Eduardo P.L disse...

A igreja,... ora essa igreja! Até nisso andam se metendo?

Eduardo P.L disse...

Esse AVATAR azul, parece ter sido inspirado no olhar e rosto do Papa!

Silvares disse...

Escolhi a imagem do Avatar por ter a luz certa para entrar junto com o Papa. A igreja anda a tentar encontrar um novo rumo na selva da modernidade... aguardemos para ver onde quer chegar este Papa.

Lina Faria disse...

Pois é. Enquanto o catolicismo preocupa-se com ficção, o papa não sabe que o os "novos evangélicos" estão loteando e vendendo cotas do céu.
Achacam pobres trabalhadores, suprindo de imediato as lacunas que o estado deixa de cumprir. Novas religiões, novas igrejas brotam a cada esquina aliciando e cobrando dízimos de pessoas inocentes, crédulas, desesperadas.
Vivemos um estado laico onde deserdados se apegam a qualquer sedução leiga, mesmo.
O catolicismo é uma instituição anacrônica, hipócrita e arrogante, apesar de ter suas exceções entre seus religiosos. Só que seus argumentos tornam-se cada vez mais ralos.

Caçador disse...

A inveja é um pecado mortal...

Silvares disse...

Lina, a igreja, apesar do que possa parecer, vai-se transformando de modo a conseguir encaixar-se no tecido social. Só que a católica é muito lenta, talvez por ser tão grande, e as igrejas apostólicas, por serem tão ágeis, encontram o modo de entrar a correr nas casas das pessoas. No fundo todas as igrejas começam por ser seitas e uma seita não é coisa recomendável.

Caçador, a inveja e mais uma mão cheia de coisas nem sempre tão más quanto possam parecer.

Fernando Zanforlin disse...

... o curioso de tudo isso é que o diabo deita e rola, faz o que quer com as pessoas que não pensam que ele existe.
Está tudo muito claro, só não vê quem é cego, até a imunda igreja católica não vê.
Ab.

Silvares disse...

Fernando, e se o Diabo não fosse propriamente o Diabo mas fosse o outro que diz combatê-lo? Se olharmos à ossa volta temos muitos exemplos de diabos que se declaram anjos e quase toda a gente acredita.

Fernando Zanforlin disse...

Com certeza absoluta, o primeiro deles por aqui é o tal do Benedito.
Abs,