segunda-feira, outubro 29, 2007

A China desperta


Zhang pintando um dos retratos que lhe vão garantindo fama e proveito

Xiaogang Zhang (http://www.saatchi-gallery.co.uk/artists/zhang_xiaogang.htm) é tido como o próximo Número 1 em termos de vendas no complexo universo da arte contemporânea. Num mundo fascinado por números com muitos zeros, ser o Número 1 na lista de vendas significa que as suas obras atingem preços quase incompreensíveis, difíceis de perceber com exactidão.
Mas Zhang, ao que consta, não vem sozinho. Há muitos outros artistas chineses que se perfilam para ombrear com os tradicionais norte-americanos, ingleses e alemães no Top dos mais valiosos e fazerem as manchetes dos jornais que deixam o público espantado com os preços astronómicos que os objectos de arte podem atingir.
Além da legião chinesa fala-se também de uma colecção de artistas indianos que andam a fazer das suas. É a confirmação do despertar do Oriente para o mundo contemporâneo e uma prova evidente de que o velho Império Ocidental, com os EUA à cabeça, começa a dar sinais de velhice e alguma fraqueza.
Hoje o mundo da arte, amanhã todos os mundos possíveis.

4 comentários:

Eduardo P.L. disse...

Obrigado por me apresentar esse artista e nos alertar pelo que vem por aí, da China. Acredito piamente!

Silvares disse...

Eu também acredito, Eduardo. O que é curioso é verificar como há qualquer de ocidental no trabalho de Zhang. Talvez isso influencie a importância que está a ganhar entre nós. Decerto haverá outros, mais "chineses" e menos... british? Aguardemos e continuemos a pintar.
:-)

Eduardo P.L. disse...

Silvares,

Conte comigo nesse sentido. Vamos pintando!

Silvares disse...

Isso é o que realmente conta. O resto não passa de negócio. Felizes os que lucram com ele. Felizes também os que continuam a pintar pelo prazer de o fazer.