sexta-feira, junho 30, 2006

Zombie Nation

Alexander Droboniev e o seu castelo papados por um azar, 1995-2001

Um gajo não devia meter-se em trabalhos que se desviem dos respectivos talentos naturais. Para quem os não tem, se calhar, não fará muita diferença servir bicas ou abrir valas comuns. Já para quem sonha a realidade acaba sempre por parecer pouco e saber a menos ainda.

Demasiado mesquinho.

Passei a manhã toda a fazer contas. Multiplicar horas por minutos e dividir o resultado por blocos de 90. Dividir o resultado dessa divisão por semanas (era necessário descobrir o número exacto de semanas) para encontrar o resultado pretendido. Agora será necessário encaixotar estas coisas todas num horário semanal, enfim, um trabalho que deixaria Hércules com saudades da querida Hidra mais as suas cabeças infinitas.

Sinto-me mesquinho.

Após três horas nesta merdonga já quase me cai a cabeça dos ombros e vem aquela vontade meio manhosa de pintar. Sim, meio manhosa porque, se fosse genuína, não precisava de estar nesta espécie de trabalho forçado para a sentir e lhe cheirar a necessidade. Depois de fazer este tipo de trabalho, nos intervalos, não apetece fazer mais nada que não seja babar a pança em frente a um écrã de televisão a ver uma merda qualquer. Qualquer merda serve desde que não me obrigue a... pensar.

Amanhã volto a ser mesquinho. Está combinado.

2 comentários:

amigodaonça disse...

Não pecebo, mas vª Exª não tem cabecinhas como tudo? São muitas mas nâo servem para nada, poderá ser esse o problema. Não se preocupe senhor das cabeças, isso acontece com muita gente, está bem acompanhado. É uma situação tipicamente nacional, tão típica que enjoa. Mas olhe tem o futebol, que é pouco exigente nessa matéria. Já agora indico-lhe um canalzinho de televisão que é uma maravilha, dá dessas coisas todos os dias, é tudo um pouco velhinho, mas dá para matar saudades e cumpre o objectivo: a RTP memória, só podia ser.

Diga-me outra coisa, se quiser é claro, esta história das pessoas se virem confessar para o monitor de um computador alivia o stress, ou é mesmo para forçar o vómito? Existem montes de blogs deste tipo e, sendo limitado como sou, não consegui ainda entender este tipo de conversa confessional dirigida a ninguém, esperando o quê?
Bom por agora despeço-me esperando melhores dias. O bonequinho tem piada, foi um seu aluno que fez? Rapaz jeitoso, bastante pós-moderno, parecendo retro e algo ingénuo. Faz bem em dar oportunidade aos outros. Télogo

Silvares disse...

O objectivo é mesmo encontrar personagens como tu, sem nome que se perceba mas capazes de fazer as perguntas a que não se atrevem a responder.

Retribuo-te a questão: Escrever comentários destes alivia o stress? Na verdade é uma atitude tão comum no nosso país que até enjoa.

Quanto ás cabecinhas... para isso já precisavas de saber um pouco mais do mundo que te rodeia do que aquilo que pareces saber.

Desculpa tratar-te por tu mas não costumo ser muito coloquial com quem não conheço. Mesmo quando rezo a Deus o trato por tu.
Inté.