domingo, abril 23, 2006

Figurantes e figurões

Uns quantos figurantes, contratados a recibos verdes, haviam de folgar um pouco os sobrecarregados cofres da República. Sim, claro, refiro-me ao caso vergonhoso dos deputados faltistas! Se temos tanto representante do povo há-de haver razões objectivas para que lá estejam, ou então não, já que entram e saem da sala do parlamento com a graciosidade de enguias fedorentas. Para levantarem o braço de quando em vez e, ainda por cima, estarem noutro lado quando são necessários, não se percebe que sejam pagos a peso de ouro e encontrem as benesses da reforma após dois mandatos deste género. Se fosse um tipo invejoso e maldoso diria que anda por aí muito filho da mãe a passar noites em claro em reuniões partidárias nas concelhias e outras associações de malfeitores do mesmo do género só com o fito de vir um dia a ocupar uma daquelas cadeirinhas abençoadas que almofadam o hemiciclo parlamentar.
Penso sinceramente que a contratação dos tais figurantes em dia de votação seria uma medida inteligente. Ainda por cima podiam contratar-se os figurantes em agências de modelos o que iria beneficiar grandemente a imagem da própria Assembleia. Por um lado saíam os figurões cinzentões que enxameiam o hemiciclo, por outro nunca haveria falta de quórum o que poderia restituir a fé a tantos portugueses desencontrados da sorte.

A Assembleia da República portuguesa envergonha a Democracia e não tem que ser assim, bem antes pelo contrário! A maioria dos deputados são gajos e gajas sem opinião ou, pelo menos, capazes de abdicarem dela sempre que a voz do dono lhes exige obdediência. Se são os líderes partidários e parlamentares quem decide a orientação de voto dos respectivos rebanhos não seriam necessárias tantas cabeças para aprovar leis na elaboração das quais nem sequer participaram.

Alguma coisa vai ter que mudar.

2 comentários:

Olaio disse...

O problema é que com a diminuição de deputados, quem ficaria a ganhar seriam os campeões da balda, PSD e PS e quem ficaria lichado seriam principalmente os partidos de esquerda, CDU e BE que ainda por cima são aqueles a quem não cabe o "barrete" que queres enfiar a todos os deputados. Diminuir o numero de deputados leva á diminuição das diferenças. Parece-me que a solução passa por frisar que os deputados não são todos iguais e que provavelmente há uns melhores que outros.

Silvares disse...

Pois. É como com os professores. Se para manter os deputados de esquerda é preciso manter esta merda assim mesmo estamos mal! Ou então será preciso que haja mais gente a votar nos partidos "não baldas"... lógico não? Ainda não há muito tempo atrás o BE tinha um deputadito, para enfeitar.