quarta-feira, maio 14, 2008

Se fosse haxixe era pior! Seria?


O episódio da fumaça em viagem sobre o Oceano Atlântico mostra como a lei é encarada por aqueles que nos governam. Para eles, a lei é coisa que se aplica aos outros. Quantas vezes vemos carros da polícia estacionados em segunda fila ou professores a atenderem telemóveis no meio de reuniões sem pestanejarem sequer? Mas isto não é defeito, é feitio. Dizem que até os romanos se arrepiavam com os nossos antepassados lusitanos, uma malta que nem se governava nem se deixava governar, segundo consta.

A dificuldade de aplicação das leis é um fado português. A nossa Assembleia legisla que desunha. Legisla sobre tudo e sobre nada. Piercings, fumo, galheteiros, nada escapa à apertada malha da legislação nacional. Mas na prática fica tudo em águas de bacalhau e ninguém cumpre e só é castigada pelo incumprimento uma mão-cheia de gajos azarados que têm o galo de serem apanhados por um agente da lei mal humorado.

O caso, na verdade, nem merece comentário. Mas sempre vos digo, amigos meus, se fosse haxixe que o engenheiro e o Pinho estivessem a enchaminar lá no alto da barriga do avião era pior. Ou talvez não fosse. Se fumassem uma ganzita de vez em quando talvez não andassem por aí a semear tantas leis tão sisudas e disparatadas. Talvez ...

5 comentários:

jo-zéi disse...

-deixa a fumaça entrar na sala...tudo ali a esfumaçar no avião!! - Aqui ninguém nos topa pá!
- Muita fixe, ó meu!!!
Agora o Sócrates arrisca-se a pagar uma multazinha. -Quem eu?,devem estar doidos!!!

Silvares disse...

Agora o Sócrates de ixa de fumar e pronto. Esta é de ir às lágrimas!

luis disse...

realmente só o que falta neste país é um pouco de fumo... mesmo que seja no espaço... o D. Sebastião desapareceu no nevoeiro...

Silvares disse...

Luís, permite-me discordar. O D. Sebastião há-de reaparecer numa manhã de nevoeiro. A forma como desapareceu até que nem se percebeu muito bem. Por isso ainda acreditamos que o gajo vai voltar. Para substituir o Sócrates? Também não sei se ficaríamos bem servidos com a troca.

Antero de Quental disse...

Ver o segundo comentário de Antero de Quental, na opinião do Dr. António José Seguro, no jornal o Expresso, em:
http://aeiou.expresso.pt/gen.pl?p=stories&op=view&fokey=ex.stories/310373