sexta-feira, maio 02, 2008

Rebentamento

Há um conceito que me custa perceber. Mas custa mesmo muito. É a ideia de que uma economia deve crescer todos os anos, crescer sempre. As economias nacionais, locais, mundiais e todas as outras que tais. Crescem, crescem, crescem... até onde? Até quando podem continuar a crescer?

Nas empresas a questão é semelhante. Se um ano a empresa não cresce mais que no anterior, socorro, tá-se mal! É preciso despedir trabalhadores, deslocalizar a coisa para um território onde a miséria ainda seja um modo de vida aceitável. E lá vai. Lá vai a empresa embora levando consigo os postos de trabalho e pedaços significativos da vida de muita gente que fica a salivar defronte às montras do Centro Comercial.

E a economia sempre a crescer. Um bocadinho aqui, um bocadinho muito mais ali, cresce, cresce, cresce. O mundo não estica. Os recursos naturais também não. Esses, parece-me que diminuem à medida que a economia cresce. Mas cresce até onde? Qual é o limite?

Será o rebentamento?

6 comentários:

Eduardo P.L. disse...

É verdade. crescer até onde? Até quando?

Silvares disse...

A Economia deixou de ser uma ciência. Hoje é mais tipo religião! Depende muito da fé.

Eduardo P.L. disse...

Sou homem de POUCA fé!!!!

Olaio disse...

No sistema capitalista a "economia", ou seja o lucro tem sempre que crescer, caso contrário o sistema entra em parafuso, deflação, o grande pesadelo dos economistas do sistema. Mesmo que esse crescimento, não corresponda à melhoria da economia real, aquela que interessa à sociedade, a nós simples mortais.
É uma questão de necessidade, de afirmação do poder de tubarões entre tubarões a ver quem come quem. É claro, que a nós simples peixinhos até nos chamam "jaquinzinhos".

Silvares disse...

Eduardo, tem de ir à cataquese!

Olaio, mas o lucro tem de ter um limite... ou não?

Olaio disse...

conheces a história da rã que queria ser uma vaca?