sábado, maio 03, 2008

Algo banal

Este filme é de uma banalidade tão banal que nem chega a poder considerar-se como tal. Pronto, está bem, a frase anterior é um bocado parva, até mesmo um pouco pretensiosa. Enfim, quis dar uma entrada a este post que estivesse de acordo com o tom geral deste "88 Minutos", um filme medíocre.
Há um actor em cena, claro que estou a falar de Al Pacino, e pouco mais. A trama pretende ser inteligente e não passa de ser entediante. A realização cumpre serviços mínimos, como se tivesse estado em greve durante a rodagem e as personagens não chegam a ganhar consistência. Enfim, tempo perdido (um pouco mais do que os 88 minutos do título). Como disse salva-se apenas o cabeça de cartaz que parece caído num planeta errado para seres da sua espécie.
A não ver. Ou talvez seja de ir ver, não sei. Que se lixe, é um filme bem merdoso.

5 comentários:

Eduardo P.L. disse...

Só se passar na TV.
Aí talvez, 88minutos + os intervalos comerciais...é um programão...!

~C;-))

Jo-zéi F. disse...

os filmes que vi com Al Pacino, quanto ao seu trabalho como actor/interprete, consegue agarrar o espectador ao ecrã. Sempre intenso, muito convincente.

Silvares disse...

Eduardo, filmes na TV é coisa para deixar o espectador à beira de um ataque de nervos. Já assisti a uma situação em que o filme se arrastou tanto tempo que, para iniciar o serviço noticioso na hora certa, cortaram o filme antes mesmo de ter acabado! E pode? pode sim, e sem pedir desculpas nem sequer falar mais no assunto.

Podes crer Jo-Zéi, o Al Pacino é um dos maiores desta geração.

Eduardo P.L. disse...

Silvares,

concordo com vocês. AlPacino é ótimo! Sempre! Às vezes carrega o DIRETOR e o ARGUMENTO...

Silvares disse...

É o caso neste filme. Sem Al Pacino seria uma tristeza completa.