domingo, maio 18, 2008

Fazer o que tem de ser feito


Todos os dias há alguém a choramingar que este país não tem saída, que somos uma corja de ingratos, incapazes de fazer funcionar uma sociedade de consumo baseada na livre concorrência. Todos os dias somos confrontados com a inoperância das nossas instituições, com juízes sem juízo e fiscais que actuam em alcateia tentando provar ao mundo que as leis em Portugal são para cumprir e que quem as não cumpre leva porrada com medida certa e bitola cega. Não há cá pão pra malucos!
Não passa um dia sem que a Assembleia Legistativa legisle mais um pouco, na sua via para o Nirvana social, e nos brinde com mais uma ou outra pérola legal em benefício do colectivo e para gáudio de certos particulares.
Não passa um dia sem que alguns de nós morram porque tiveram de esperar numa urgência hospitalar mais do que permitia a força humana, enquanto outros são recebidos por enfermeiras boazudas num átrio com música ambiente para desencravarem a merda da unha do dedo mindinho da pata esquerda. Já mancava.
Não passa um minuto sem que sejamos confrontados com provas inequívocas de Portugal é uma tremenda ficção mas, mesmo assim e apesar de tudo, uma ficção em que até nem é mau de todo viver... desde que estejamos do lado certo da barricada. Do lado de cá do muro que divide os muito pobres dos pobres mais-ou-menos-ricos.
Falta fazer aquilo que tem de ser feito. Falta conseguir despoletar o milagre. Se a Nossa Senhora de Fátima tiver que regressar que regresse. Que venha às oito da noite que é o horário em que as coisas públicas acontecem. Que venha e nos una uns aos outros, que nos ponha a todos a trabalhar no mesmo projecto. Que nos convença por maravilhosas artes divinas que a vida tem um sentido. Que explique à Judite de Sousa ou ao Rodrigo Guedes de Carvalho (não acredito que a Virgem aguentasse uma entrevista com a Manuela Moura Guedes) que o sentido da vida é construir um mundo melhor para os que hão-de vir a seguir a nós. E que assim, o mundo será um lugar cada vez mais aprazível em direcção ao Nirvana social. A Virgem que explique que o mundo não é para consumir mas sim para melhorar e construir.
Pronto, está feito. Acabei a minha oração dominical.
Amen.

3 comentários:

jo-zéi disse...

se cada um fizer BEM o que tem que fazer, tudo ficaria melhor. Só que a MALTA que manda no Povinho são a pior corja de todos. Enquanto estes não desaparecerem, talvez se a Srª de Fátima fizer um milagre, o país se componha.
NÀÀÀÀ...

Eduardo P.L. disse...

Silvares,

estamos em Habat, capital politica do Marrocos, e como internets estao ficando cada dia ,mais rara nessa viagem, vou passar a data de nossa chegada a Lisboa: no proximo dia 25 , um domingo, e estaremos hospedados no Hotel Mundial.

Forte abraco Marroquino.

Silvares disse...

Jo-Zéi se desaparecerem todos será milagre!
:-)

Eduardo, e ficam quanto tempo?