quarta-feira, fevereiro 06, 2008

A propósito...

...do post anterior aqui está a gravura inspirada na obra de Pieter Brueghel, o Velho, justamente intitulada "peixes grandes comem peixes pequenos". Este será um antigo provérbio latino muito conhecido e bem elucidativo da clarividência popular (a chapa/matriz da gravura é da autoria de Pieter van der Heyden e publicada por Hyeronimus Cock http://www.metmuseum.org/toah/hd/brue/hod_17.3.859.htm, é datada de 1557 e realizada a partir de um desenho do mestre com uma inscrição que identificava Bosch como sendo o "inventor" da imagem).
Até que ponto o Padre António Vieira conheceu esta imagem ou outra semelhante? Terá tido o seu celebérrimo Sermão de Santo António aos Peixes, proferido na cidade de São Luís do Maranhão, no Brasil, em 1654, uma base visual deste calibre? A hipótese é perfeitamente plausível (não faço a mínima ideia se há qualquer tipo de estudo ou referência a algo do género) uma vez que estas gravuras eram vendidas com bastante sucesso e tinham larga difusão entre os círculos eruditos da Europa. Uma vez que Vieira mantinha contactos com judeus na Holanda nada mais natural que alguém lhe tenha oferecido ou feito chegar às mãos tão eloquente gravura. A grande arte faz-se para os grandes artistas e eles fazem dela algo ainda maior.

7 comentários:

Eduardo P.L. disse...

Silvares,

é isso aí!
A grande arte é imortal.Atemporal.

MoiMêMê disse...

Amigo Rui, e a grande arte faz-se também para aqueles sensíveis que gostam tanto de a ver, mesmo que a não façam, mesmo que não a entendam... sentem-na... n'est ce pa?

Silvares disse...

Eduardo, só é pena os artistas não gozarem das mesmas qualidades da sua arte.
:-)
Célia, sentir a arte faz do espectador alguém suficientemente sensível para ser... artista! E fazer dela algo ainda maior. Sim, sim, aí dentro... maior!
:-)

Albino disse...

Olá rui.
Gostei tanto da imagem dos peixes, que a gamei para comentar dois posts do Olaio.
Já gora, diz-me se a cena do peixe grande, que no museu está a comer virado para a esquerda, e que tu puseste virado para a direita, foi de propósito ou acidental?

Eduardo P.L. disse...

Silvares,

é verdade. Morrem pobres e muitas vezes injustiçados.
Veja os preços de um Francis Bacon HOJE!!!!

(;-))

( Finalmente reconheciso....)

Silvares disse...

Albino, a orientação do peixe (esquerda ou direita) neste caso é mais ou menos indiferente. Acontece que, com muita frequência, as imagens são publicadas ao contrário. No livro de História da Arte dos meus alunos acontece mais do que uma vez! Problemas de edição e falta de rigor, nada a que não estejamos (infelizmente) habituados!
Eduardo, há quem goze bem (muito bem mesmo) as benesses do reconhecimento artístico ainda em vida. Os exemplos são muitos. O Bacon não venderia com o mesmo fulgor caso fosse vivo mas acabou a viver com algum conforto...

Fernando Zanforlin disse...

Olá, 100 cabeças,grande sujeito foi o Antonio Viera, pena o ridiculo titulo de padre, deveria ter sido expulso da igreja católica assim teria mais honras e seus trabalhos seriam mais difundidos.
ab