segunda-feira, abril 27, 2009

Porcaria

Primeiro foram as Vacas Loucas. Onde elas já vão!? Depois a temível Gripe das Aves. Já desapareceu? Uma e outra a fazerem-nos imaginar situações terríveis. A palavra "pandemia" entrou no vocabulário quotidiano, a fazer com que "epidemia" parcesse brincadeira de crianças. Os telejornais abriram com notícias alarmantes. Morreu mais um aqui, outro ali. Os vírus atravessando continentes, fazendo vítimas a milhares de quilómetros de distância umas das outras. E nós perdidos, a olhar os acontecimentos como espectadores de bancada lateral, num jogo de ténis ao vivo.

Agora (re)surge a gripe suína (aqui alguns dados informativos). Mas a que está a ocupar os nossos novos pesadelos não é a velha gripe suína, antes se trata de uma nova estirpe. Uma estranha mistura de ADN de suínos, aves e seres humanos. Caramba, quem seria capaz de imaginar tamanha monstruosidade? Assustador, de facto.


Esta misturada de ADN dá a impressão de estarmos perante um inimigo não só poderoso como também inteligente. Como se os vírus fossem capazes de estabelecer alianças inesperadas entre eles, esquecendo diferenças fundamentais, com o único objectivo de ganharem a guerra que travam com a nossa espécie pela supremacia à face do planeta Terra.

Para já o alarme é enorme. Andamos todos aflitos, com medo de um inimigo invisível que penetra o nosso organismo para com ele se banquetear.

Tentamos estabelecer estratégias de combate. Medicamentos, vacinas, máscaras protectoras das vias respiratórias. Tudo muito avant-garde, coisas de países civilizados. Talvez estejamos a exagerar no alarme, uma espécie de autoflagelação, tentativa de expiar pecados enormes e antigos. Talvez não haja razão para tanto temor e a ciência tenha respostas capazes de evitar um surto que cause tantos mortos como quando a gripe suína nos visitou nos idos de 1918. Só que nesse tempo ficou conhecida como "gripe espanhola". Esta relação entre suínos e espanhóis nesta coisa de gripes parece-me de mau gosto. Como se isto não bastasse levou-nos Amadeo de Sousa Cardoso em Dezembro de 1918, misturado nos muitos de milhões de vítimas que então se contabilizaram (os números dançam entre extremos demasiado vagos, fala-se em 20 a 40 milhões de mortos!!!).

Depois da "gripe do subprime" vem esta nova desgraça complicar-nos, ainda mais, o passeio. Uma porcaria, esta gripe suína!

13 comentários:

expressodalinha disse...

Na Idade Média era pior. A gripe afinal é Gripe Mexicana, dizem os judeus!

Eduardo P.L disse...

Silvares, não fosse seu temor real, diria que seu texto é mais alarmante que a realidade! Mas que é uma porcaria, não há dúvidas. Vamos ter que morrer um dia, mas deus nos livre que seja de gripe de porcos!

Beto Canales disse...

genial a última frase...
hehe

peri s.c. disse...

Obssolescência programada : vamos substituir gripes como substituimos celulares, carros, etc

peri s.c. disse...

oops ... correção : " obsolescência "

Alice Salles disse...

Bem porca como é de ser...Vamos ver onde morre - ou mata! (que horror!)

Ogre disse...

A ministra da saúde garantiu que a gripe «mexicana» não entrou em Portugal. E se ministra o diz... para que é que você está aqui com alarmismos?

Silvares disse...

Jorge, Na Idade Média é que era bom, ao menos havia Deus para nos proteger. Ainda não O tínhamos espantado.

Eduardo, estou consigo. Prefiro, de longe, uma gripe dos limpos!
:-)

Peri, esta gripe, vinda do México, é gripe dos porcos. Se viesse dos EUA, por exemplo, seria uma gripe dos limpos... talvez dependendo do estado de origem...

Alice, um horror, de facto. O prblema é que depois de anteriores falsos alarmes pode haver quem não acredite na dimensão desta coisa.

Ogre, não te esqueças que Portugal tem muitas artes de defesa que os outros países desconhecem. Basta lembrar como o Paulo Portas desviou uma maré negra para as praias da Galiza quando era ministro da defesa. Bastou-lhe pedir à Virgem Maria que ela, solícita, logo tratou de lixar a vida aos galegos.

claudio boczon disse...

a falta que faz
uns autos-de-fé

disse...

Hoje já estamos com um alerta 5...vai até 6 !!!

Silvares disse...

Claudio, um ou outro judeu de churrasco havia de fazer maravilhas! O meu problema é que tenho fortíssimas probabilidades de ter muito sangue judeu a correr-me nas veias...
:-(

Ví, sinceramente parece-me alarme demasiado. A gripe tem cura. Ou não?

Cristina Loureiro dos Santos disse...

O problema maior é a forma fácil como se pode espalhar e a rapidez com que pode acontecer. Além das mutações do próprio vírus, não te esqueças. E depois, anda no ar, o maldito, e sobrevive 30 horas... É muita coisa junta.

Mas eu acredito que com a mesma rapidez também se propaga a informação, está a ser feita uma prevenção em larga escala, vamos ver.


Ah, Rui, e Ele ainda nos protege...

(embora eu também ande com muito medo, impossível não sentir, perdi a minha bisavó e dois tios avós na epidemia de gripe espanhola)

Beijos.

Silvares disse...

Cristina, ao que parece já não há muito mais Tamiflu em stock...