domingo, outubro 19, 2008

Mundo bruto


A Europa pretende ser um farol para a Humanidade. O Velho Continente persegue o sonho da unificação tentando construir uma democracia baseada nos princípios humanistas que, gostamos de acreditar, caracterizam a nossa herança histórica.

Um dos palcos onde a Europa costuma passear a sua imagem algo vaidosa e pretensamente superior, é a do combate à poluição na tentativa de inverter as alterações climáticas. Os europeus, representados nos palcos internacionais pela União Europeia (UE), estão sempre prontos a assinar acordos, a promulgar leis e a dar lições sobre o melhor modo de tratar as doenças que afligem o Planeta. É louvável, sim senhores.

Mas a crise económica é uma diaba chifruda e veio pôr a nú algumas falácias dos representantes da UE. Os nossos ministros do ambiente reunem-se amanhã para debaterem o estado actual do plano climático europeu e as nuvens de dióxido de carbono adensam-se sobre a cimeira. Segundo notícia do Público online:
"A crise financeira está a ameaçar as medidas previstas, como aconteceu na cimeira que os líderes da UE celebraram nas passadas quarta e quinta-feira, quando cerca de dez países pediram diminuição do nível de compromissos." Ou seja, é tudo muito bonito quando não estão em causa os princípios sacrossantos do "desenvolvimento" industrial que serve de motor ao sistema económico.

A economia espirra, o Planeta adoece um pouco mais. Este mundo é um mundo bruto. Definitivamente. Não há Humanismo que aguente a quebra das bolsas nem herança grega que disfarce um Orçamento de Estado a tremer de frio. Sinais dos tempos...

5 comentários:

Beto Canales disse...

Todos fazem de tudo para "salvar" o planeta, desde que não se perca dinheiro....

Palhaços, eles por serem assim, e nós por permití-los...

abração, Silvares, apesar...

Eduardo P L disse...

Silvares,

o planeta ou o mundo não correm nenhum risco com os problemas ambientais. Só a humanidade é que corre riscos. O mundo e o planeta continuarão a existir. Os bichos humanos é que poderão ter sua passagem pela terra complicada!
Em sendo assim nossos governantes deveriam pensar mais nos humanos a longo prazo do que na "bolsa" do dia seguinte!

Silvares disse...

Beto, essa é uma grande fraqueza... acabamos todos sendo um pouco mais palhaços do que gostaríamos ou estaríamos dispostos a ser.

Eduardo, o seu ponto de vista é forte e está correcto. O planeta viverá enquanto o Sol não explodir. Com ou sem seres humanos. O risco é virmos a aumentar a lista das espécies em vias de extinção. O Planeta permanece. Já Deus, se perder os clientes...

Alice Salles disse...

Deus perdendo os clientes seria fenomenal. Mas digo que sim, e como o Eduardo disse, os humanos que acabaram tendo nas suas maos o poder e o dom de tudo, precisam entender que os humanos tem que ser prioridade, e nao a bolsa. A bolsa e uma praga que foi infiltrada como cura... mas que nada!

Silvares disse...

Alice, conheces a história do rei Midas, aquele que desejou possuir o dom de transformar em ouro tudo o que tocasse? Por pouco não morria, vitimado pela sua ganância.