sexta-feira, agosto 01, 2008

Estação Parva


Mestres de cerimónias da Estação Parva: em cima juntos, em baixo um pouco mais ou menos


Os igleses chamam-lhe silly season, ou serão os americanos? Em Portugal, como somos muito bons em línguas estrangeiras apesar de falharmos um bocado no português, adoptamos habitualmente a expressão anglófona. Por mim vou chamar-lhe a Estação Parva, apeadeiro habitual dos tótós e demais matrecos deste nosso país maravilha.

A coisa começa com o calor, com a chegada das férias, começa porque as pessoas ficam com mais tempo livre e os políticos também vão dar banho à minhoca para as praias do Allgarve. As notícias tornam-se mais leves o que não deixa de ser estranho. Parece que quando estamos a trabalhar temos mais capacidade de encaixe para suportarmos as agruras da vida na Aldeia Global. Durante a Estação Parva é tempo de fazer inquéritos imbecis a figuras públicas que depois se imprimem em páginas de jornais que, no resto do ano, são ocupadas com assuntos mais sérios.

Outra coisa que faz desta época uma parvoíce é a forma mais ou menos desenfreada com que desatam a fazer listas de livros para ler nas férias. Toda a gente tem um monte de livros a aconselhar ao povinho que fica meio desnorteado sem saber o que fazer com tão magro orçamento e tanta literatura nas prateleiras das livrarias. Fulano propõe isto, sicrano propõe aquilo, como se nas extensas bibliografias que propõem nos estivessem a enviar uma mensagem cifrada sobre si próprios, a sua eloquência (ou falta dela) e a argúcia dos seus olhos de gavião que lhes permite enxergar mais longe as imagens que este mundo nos oferece.

Portugal fecha as portas. Literalmente. Os tribunais, apesar das toneladas de processos atrasados, encerram com cadeado na porta, as escolas, por falta de substância, aninham-se no fundo da casca, etc. e tal. Toda a gente se desloca o mais que pode em direcção ao mar.

Esse é outro mistério. O calor abrasador do sol de Verão leva as pessoas para os areais, uma espécie de desertos à beira do mar, onde não há árvore nem arbusto que oferça um palmo de sombra. Está sol, está calor, então é tempo de irmos ao molho para o local mais desprotegido e ensolarado que podemos encontrar: a praia.

Eu também vou, comedidamente, é certo, mas não posso evitar responder positivamente a este impulso insano que me obriga a besuntar o lombo com camadas peganhentas de creme protector pois a brancura da minha pele não se dá bem com a potência dos raios solares. Já este ano tive uma bela faixa cor-de-rosa a enfeitar-me as costas por me ter distraído a ler o jornal fora do guarda-sol por mais que 5 minutos.

Enfim, apesar de pouco substancial muito há a dizer sobre a Estação Parva. Não posso deixar de notar que o Presidente Cavaco com a sua comunicação ao país no final da tarde de ontem, abriu com chave de ouro e em grande estilo a época da parvalheira. Não haveria formas menos alarmistas e mais comedidas para o Senhor Silva se referir à questão do Estatuto Político-Administrativo dos Açores?

Há quem considere que a Estação Parva tem a sua abertura oficial com a célebre festa do Chão da Lagoa, na Madeira, e como mestre de cerimónias o tipo que governa lá para aquelas bandas. Concordo. Em termos de parvoíce o homenzinho é imbatível.

Está visto que, quando toca a esparvoar, os nossos governantes sentem-se livres e voam pelo céu fora... o seu limite.

12 comentários:

expressodalinha disse...

Faltam agora os namoros das Pilitas, Bibás e Rukas na praia do Ancão... Sem falar na problemática heremética da transferência de jogadores de futebol!

sol aos quadradinhos disse...

é mais a estação dos Parvos e das Parvoíces. Até o nosso Presidente anda mais tonto,...temperatura a subir!

Silvares disse...

Jorge, faltam esses. Em calção de banho biquini.
:-)
Zé, temperatura a subir, miolos a derreter...

jo-zéi disse...

EBULIÇÕES.

roserouge disse...

Como cantavam os Radar Khadaffi:
"O que eu gosto é do Verão!
Passear de cuecas na mão..." trálálá

jo-zéi disse...

este tema é dos Fúria do Açucar,

os Radar Kadafi cantavam: "sabes que não sou sincero,
mas não posso tentar fingir que posso ser..."

intruso disse...

risos


oh cavaco,,, nao sejas silly, não sejas sillyconeee (como a sharon stóneee)


p.s.
Alçapão #2 à venda na livraria da Ordem d arquitectos...
[as minhas ilustracoes sairam mal na impressão...] :/
mas o fanzine está porreiro! recomendo...

roserouge disse...

Ena, temos aqui um melómano! Que fixe, you're on!

roserouge disse...

Ordem dos Arquitectos? Estive lá há 2 semanas no lançamento dum livro sobre a Sala Tejo - Pavilhão Atlântico - onde trabalhei durante 6 meses na Presidência Portuguesa do Conselho Europeu. Não havia nada pra comer, só vinho branco e sumo de laranja. Mas a vinhaça estava fresquinha...

jo-zéi disse...

NÁÁÁÁ!!!, não sou nenhum especialista.

Dos "Snow Patrol" já ouvi o nome mas desconheço...

roserouge disse...

Por falar em silly season, a praia hoje estava fantástica.

Silvares disse...

Roserouge, Jo-Zéi, vocês dão a este Blogue uma banda sonora efervescente...
:-D

Intruso, umas mamocas de silicone no Cavaco é que era!