sábado, agosto 16, 2008

Senhores da Guerra


A guerra na Ossétia está a mostrar a quem quiser ver que estamos entregues nas mãos dos Senhores da Guerra. Fala-se muito da brutalidade e da ausência de lei nos territórios afegãos dominados por esses guerreiros indomáveis, capazes de compreender o mundo apenas quando têm uma arma na mão. A ideia é assustadora.
No Darfur há também terríveis assassinos que não respeitam a vida humana e matam quem lhes apetece, quando lhes dá na real gana. Como estes há muitos mais territórios sem lei mergulhados numa espécie de Idade das Trevas, como a que se viveu na Europa após a desagregação do Império Romano.
A guerra na Ossétia mostra que Putin faz o que muito bem lhe apetece e nem sequer precisa de dar a cara nos media ocidentais. Assina tratados e não os respeita com a maior das calmas. O homem é perigoso e não respeita o direito internacional. A ONU faz figura de corpo presente e pode muito bem não sobreviver a esta palhaçada.
Do outro lado Bush e os seus putativos aliados não têm grande moral para condenar a guerra. O Iraque é uma chaga que não vai sarar tão depressa e, também nessa crise, a ONU foi enxovalhada, servindo de palco à maior e mais descarada mentira da história dos meios de comunicação de massas, quando Colin Powell apresentou as provas de existência de armas de destruição maciça nas mãos de Saddam Hussein.
Bush e Putin são Senhores da Guerra e marcam território, como os outros animais irracionais, mijando aqui e ali. A guerra na Ossétia serve para Putin mostrar quem manda naquela parte do mundo. Qual será o próximo território a reclamar pelos EUA?
A guerra na Ossétia começa a ficar cada vez mais fria.

4 comentários:

Ashera disse...

Subscrevo inteiramente este texto!
A China também vende armas ... é a força do pretroleo!
Ainda estamos no começo das grandes guerras.
Bom sabado
Beijos

mumia disse...

são muito amiguinhos.

Fazem os negócios(distribuiem as cartas) entre eles, e fica tubo bem,...quando acaba bem.
Até ver.

Silvares disse...

Ashera, temo que quando começarem não durem muito tempo.

Mumia, o problema é que nunca acaba bem.

Eduardo P L disse...

Silvares,

se servir de consolo, é uma das provas mais cabais de que o HOMEM é o mesmo a milhares de anos! Não tem evoluido muito mais do que Darwin já havia notado!