quarta-feira, julho 12, 2006

Sinceramente, ó meus!

Sinceramente!!!
Então a Federação Portuguesa de Futebol tem a distinta lata de propor isenção de IRS para os prémios dos jogadores da selecção!!!??? Tão lusitanos que eles são, tão sofredores pela causa nacional e agora querem que não se lhes cobre o imposto devido!?

Não sei o que pensam exactamente os jogadores sobre a questão, o mais certo é não pensarem nada, como de costume. Pensarão que é preciso trabalhar, levantar a cabeça e encarar os jogos um a um, que farão tudo para ganhar e dar o seu melhor e que o grupo é espectacular e merece todo o carinho que lhe possamos dar. Fico sempre com a sensação de que os jogadores são incapazes de raciocinar para lá deste tipo de baboseiras sem sentido nem consequência. Espero estar enganado. Espero que só falem assim porqe têm a consciência plena de que o mundo do futebol não tem nada de democrático, bem antes pelo contrário, e quem tiver ideias próprias arrisca-se a ser castigado pelo patrão. Um jogador profissional de futebol nunca, mas mesmo nunca, deve pôr em causa a voz do dono.

Só não percebo como é que uns gajos que ganham mais num mês do que a maioria dos seus concidadãos ganham numa vida inteira têm necessidade de vir para a praça pública com uma treta destas. Sinceramente, ó meus! Parece que quanto mais dinheiro se tem mais ganancioso se fica. Estou convencido que aquilo que pretendem ver "perdoado" no prémio não passa de trocos miseráveis para a maioria dos jogadores. Porque arriscam desta forma o capital de simpatia e admiração conquistados com tanto sangue, suor e lágrimas lá pelas terras da Germania? O povão não está a perceber muito bem esta novela de faca e alguidar.

Deixem-se de merdas e paguem o que devem, ó meus, que isto não está para brincadeiras.

4 comentários:

amigodaonça disse...

Pois foi, esqueceram-se de tratar do assunto com mais sigilo. Mas são os heróis nacionais, colocaram futebolisticamente o país no topo do mundo, faz-se sempre uma benesse aos rapazes. É evidente que essa informação que alguém não quis calar, por qualquer razão, não deixa de ser, novamente, uma pontinha das negociatas que vão passando no futebol, e nas outras áreas que mexem com o poder. Não é nada demais, se pudéssemos saber como se passam as coisas nas direcções dos partidos, da A. República e no governo.

Você diz que não percebe como é que tipos que ganham tanto ainda querem desconto... Essa dúvida só passa na cabeça de quem tem mesmo de pagar impostos... Isso para quem pode manejar as leis deve ser uma questão de somenos...É uma questão de hábito de funcionamento, num registo bem português de dar a volta, os outros , os patós, que são a maior parte, ficam sempre como suporte se algo foi demasiado mal feito. Basta ver a extrema agilidade dos tribunais para tornarem efectivos os julgamentos e a aplicação das sentenças, nessa altura há sempre um Brasil para deixar assentar a poeira.

Télogo

Ps: dei uma vista de olhos aí pelo blog, achei graça à sua reacção e à do seu heterónimo. No mínimo estão a ser ingénuos. Na Net o que é que não é simulacro? O seu nome é o que está colocado aí? E mesmo que seja, quem é que você é na realidade, é essa cara que aparece?

E por outro lado, quando você dá um dedo de conversa com alguém no autocarro, ou na bicha para pagar o IRS (lá está o famigerado), pede a identificação? Sabe com quem fala? E isso é sequer uma preocupação das pessoas?

Por fim, acabou por não me responder à pergunta feita no outro dia, tanto alarido catártico, mas desviou-se...

... disse...

Caro Silvares,

O amigo da onça precisa carinho.
Subscrição na conta: 0005988367676756509098

Ajudem. Vão ver que não custa nada.

Silvares disse...

Pois é, todos precisamos de carinho. Ao que parece os jogadores da selecção não pedem mais do que isso... ao Ministério das Finanças.

Quanto à resposta ocultada pelo alarido catártico continua lá, no post "recomendado".

Eu sei que vivemos num mundo lixado e falo com muita gente que não conheço. Na rua, no café, nas repartiçõess públicas, em todo o lado. Mas aí olho-as nos olhos que é coisa que não me custa nada, antes pelo contrário.

O "boneco" que coloquei para me identificar é "O Homem do Turbante Vermelho", um suposto auto-retrato de Jan Van Eyck, o pintor que mais admiro e venero com fervor quase religioso. É um tributozito.

Achei que colocar a minha fotografia no Blogue seria o cúmulo... nem sei de quê. Talvez fosse o cúmulo daquilo que você fala, que também não sei bem o que é.

Talvez uma "Necessidade de Consolo Impossível de Satisfazer"!

Quem sabe?

Sofia Loureiro dos Santos disse...

Pagar os impostos sobre o dinheiro ganho na sua actividade profissional, prémios ou outros, é o que se impõe a todos.