sábado, maio 13, 2006

Idolatria?

Esta cena da Nossa Senhora de Fátima é um caso sério. Raras vezes uma boneca levou tanta gente à loucura. Talvez só mesmo a Barbie consiga atingir semelhantes índices de popularidade mas não consta que haja criancinhas dispostas a rastejar ou andar centenas de metros de joelhos em sinal de devoção à sua boneca preferida.

O terceiro "F" da portugalidade tem hoje o seu dia. Brevemente teremos a final da Taça de Portugal em futebol. Não sei quando, lá virá a grande noite do fado.

A imagem da Virgem é uma pedra no sapato da religião católica? Talvez, já que configura uma situação de idolatria pura e dura. Lembremos a recente procissão pelas ruas de Lisboa com milhares de pessoas a encomendarem-se... à bonequinha. O Povo é mais dado a compreender o papel da santa do que questões teológicas complicadas. À Senhora pedem-se favores, umas cunhas nas mais variadas situações e, como não se lhe pode oferecer um presuntinho ou um garrafão de azeite, vai de esfolar os joelhos em sinal de gratidão.

Pois, talvez esteja a ser demasiado cruel para com a Fé do meu Povo. Talvez precise de ir até ao santuário de Fátima e sentir a força da credulidade da multidão para ganhar alguma humildade que me falte. Talvez... mas não me parece que adiante grande coisa. Não sou gajo de acreditar em milagres ou em aparições sobrenaturais.
Mas lá diz o dito "não acredito em bruxas mas que as há, há!". Talvez haja. Talvez...

3 comentários:

fada*do*lar disse...

Experimenta uma boa campanha de marketing e publicidade de novas roupinhas e acessórios para a "Fátinha", e verás quantas crianças rastejarão até lá. Tudo devidamente patrocinado pelo escandaloso e desenfreado comércio local, por exemplo. Qualquer gadget "sagrado" é válido para o peregrino fiel!
Também não quero ser injusta e colocar tudo e todos no mesmo saco, mas... para "sentir a força da credulidade da multidão" ir ao santuário ou ao festival rock mais próximo, é igual.

Silvares disse...

Não sejas mázinha.

mghorta disse...

Porque não aproveitam a maré do <'nazi'> Ratzinger agora, se é ele o próprio a duvidar dos pastorinhos, seria uma boa oportunidade de dizer ao povo que estão enganados à muito tempo, para não dizer dos crimes que a igreja esconde e fez durante séculos...

Bom post, parabéns . :)