sábado, setembro 19, 2009

Um homem sério como uma piada de mau gosto


fotografia de Paulo Pimenta publicada no Blographo o Blogue dos fotógrafos do Público
Dizem que o nosso Presidente da República é um homem sério. A língua portuguesa é traiçoeira e ficamos sem saber se ele é considerado sério porque mostra um semblante fechado ou se é sério no sentido de ser honesto. Cavaco Silva tem-se esforçado por construir uma imagem mais aberta e descontraída desde que se tornou Presidente da República. Longe vão os tempos em que parecia estar sempre a rosnar e com vontade de envenenar a sopa de toda a gente. O Cavaco actual tenta diversificar o discurso, mostrar-se afável e chega mesmo ao extremo de experimentar fazer humor em público. Mas não consegue. Quando varia o discurso mete os pés pelas mãos. A afabilidade, quando não é genuína, mete dó e, ao tentar fazer humor não chega sequer a conseguir ser um palhaço. Nem isso. Um desastre!

Olho para Cavaco e sinto-me triste. Ele é o rosto do Portugal actual. Um homem pouco culto e incapaz de dissertar para lá do óbvio. Um homem que parece não se sentir à vontade dentro da própria pele. Ao que parece a sua suprema qualidade é a tal seriedade (seja ela qual fôr), o que, para um estadista, me parece insuficiente.

Fica a sensação de que o Presidente anda a fazer jogo de cintura na tentativa de dar um empurrãozinho à sua versão feminina, a actual líder do PSD, nesta campanha eleitoral. Posso estar enganado. Mas, se assim fôr, até mesmo a sua única qualidade cai por terra e nem sequer levanta poeira. Estamos muito mal governadinhos, benza-nos Deus.

6 comentários:

Luma disse...

O presidente de Portugal é muito parecido com o do Brasil! Com exceção de que, o daqui tem uma auto estima, alta demais!! E ri de qualquer piada, quem sabe a convivência não seria boa? Mandaríamos para uma ilha, que tals? Beijus

Anónimo disse...

bom, por aqui, novos ares, temos um novo primeiro ministro, esperar para ver. o antigo foi tarde.
estamos quites em várias partes do mundo.
abs
madoka

Silvares disse...

Luma, talvez não fosse má ideia. Haveria que ponderar bem qual a ilha mas, decerto, há uma ilha suficientemente longinqua e isolada para manter esses dois entretidos a contarem umas piadas...

Madoka, por cá teve eco a exótica esposa do senhor Hatoyama. Vi uma pequena reportagem em que questionavam alguns cidadãos na rua sobre as suas viagens intergalácticas e outras particularidades estranhas. Achei curioso um que dizia que ela trazia algum colorido ao habitual cinzentismo da política, todos se mostraram perfeitamente à vontade com as extravagâncias da senhora. Se fosse por estes lados... era uma escandaleira!

Ví Leardi disse...

...nem vou começar a considerar...pois a coisa fica feia! Pobres de nós...!

Schlorpsie disse...

Pois é,parece mesmo sério ao lado do Dias Loureiro e afins,de quem é muito amigo e tudo,mas cá pra mim...

Kid

Dalaiama disse...

Espectacular esta descrição, na forma e no conteúdo!
Só acrescento que felizmente eu nunca achei que este homem valesse algo de positivo. A mim não desilude.