segunda-feira, dezembro 08, 2008

Perigo de desmoronamento


O regime político está doente.

O parlamento sofre de macrocefalia e esclerose múltipla. Os deputados não são ninguém e suportam um governo de péssima qualidade.

Uns e outros, metidos num saco e atirados ao rio, não fariam mais falta que uma ninhada de gatos tinhosos.

Preferia de longe alimentar os gatos tinhosos.

A cada dia que passa compreendemos melhor os contornos mafiosos do nosso sistema económico e a forma pornográfica como este se mistura no mundo da política.

Uma história de faca e alguidar.

Faca para cortar gargantas e alguidar para receber o sangue das gargantas cortadas.

O presidente da república gagueja incongruências e serve para tanto quanto não servem os outros.

Os partidos políticos revelam-se verdadeiras associações de malfeitores.

Têm uma vida tão complicada que os melhores de entre os cidadãos se afastam e fogem deles como o Diabo foge da Cruz.

O país afunda-se e nós, sendo parte integrante do país, afundamo-nos com ele. Já estamos submersos até aos tomates e continuamos a ser puxados para baixo.

Entretanto tenho a sensação de que tudo se desmorona à nossa volta.

Vêm aí tempos interessantes mas, temo bem, tempos muuuuuito deprimentes.

13 comentários:

expressodalinha disse...

Talvez se clarifiquem algumas coisas. O problema é a hipótese de um regime ditatorial...

Rini Luyks disse...

Qualquer associação entre o querido símio da fotografia e a cambada de criminosos retratados neste post é um insulto para o bicho...

Silvares disse...

Jorge, regime ditatorial não me parece que possa acontecer. Mas a qualidade deste que temos está podre. A olhos vistos.

Rini, não queria insultar este animal. Apenas queria mostrar o meu desprezo pelos outros.

Beto Canales disse...

E acho que está sendo otimista.
Estamos em maus lençóis...

Eduardo P.L disse...

Não sou de me assustar com pessimistas, mas lendo esses quatro comentários anteriores fiquei com vontade de chorar!
Será que chegamos a esse ponto?
Diante desse quadro fico achando os nosso políticos brasileiros umas maravilhas...rsrsrs!

Alice Salles disse...

Acho que o estado depressivo que TODO o mundo se encontra infelizmente é irreversível. Precisamos ir até o fundo dos fundos para renascermos novos e fortes.

peri s.c. disse...

Boa essa troca de informações rápida entre pessoas de diferentes continentes. Percebemos que os políticos são idênticos,seja o país que for. Aqui temos um ditado á propósito ' a merda é a mesma, só mudam as moscas "

expressodalinha disse...

E quando mudam ainda vem mais porcas...

roserouge disse...

Falaste bem, cara pálida. Fumemos o cachimbo da paz.

Silvares disse...

Beto, se isto é ser optimista, então o optimismo é coisa pouco exigente.
:-(

Eduardo, é como diz o Peri, falo dos políticos portugueses mas é como se estivesse falando dos brasileiros. Reflexos da tal de globalização...

Alice, se a ida ao fundo é condição necessária para o tal renascimento, então é tempo de renascer!

Peri, como não podia deixar de ser, essa história das moscas e da merda é igualzinha deste lado do Oceano.


Jorge, mesmo assim há moscas que se lavam e perfumam só pra fingirem que não são porcas...


Puf, puf, fumemos (isto parece uma cena do Hum-Pá-Pá :-)

Só- Poesias e outros itens disse...

Silvares, se essa conversa não fosse ai do lado do atlântico, eu tenho a certeza que nenhum item citado por você está diferente por esses lados.

bjs.

JU gioli

Silvares disse...

O Atlântico é um espelho.

Anónimo disse...

resumindo! que tristeza!
Elena