terça-feira, novembro 14, 2006

Exposição

Está marcada para amanhã a inauguração da exposição Diálogo de Vanguardas que reúne obras de Amadeo e de uma série de ilustres vanguardistas seus contemporâneos. Será decerto uma exposição empolgante.
Quando ouço falar deste extraordinário pintor vem-me sempre à memória a primeira sessão da cadeira de Pintura do 3º ano, a que assisti na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa. Enquanto enumerava a sequência de trabalhos que teríamos de apresentar ao longo do ano lectivo, o professor Lima de Carvalho ia avisando os jovens alunos de que ali não seriam admitidas "picassadas" e elucidava-nos que Amadeo havia sido um "doentinho" que vivera demasiado tempo enfiado na sua quinta de Manhufe. Gil Teixeira Lopes estava calado e de cara fechada aterrorizando o pessoalzinho com o seu silêncio, pelos vistos concordando com as doutas palavras do colega. Isto passou-se para aí em 1984 e dá bem uma imagem da qualidade do ensino na ESBAL dessa época.
Sempre gostaria de saber se aquelas palavras eram verdadeiras ou se tinham apenas como objectivo encaminhar os nossos trabalhos num determinado sentido. Seja como for acredito que os meus "mestres" de então se contem entre os visitantes desta exposição que promete vir a ser um êxito.

2 comentários:

luis m. disse...

Acho, que tens razão pázinho, com as voltas que as artes têm dado, o Amadeu deve ser um consolo para os olhos desses mestres ilustres de Belas Artes, hoje faculdade. Isto é claro, partindo do princípio que não cegaram de vez, com o cérebro encolhido. Felizmente não tive que privar com alguns dos espécimes engessados, só os via nos corredores como as réplicas clássicas, cheias de pó, que se aninhavam nos nichos.

fada*do*lar disse...

Ui!
Que tenebrosos personagens foste tu recordar...
Eheheheheheh

Viva o Amadeo!