domingo, março 20, 2011

A guerra é a guerra?

 Índio com verdadeiro Tomahawk


A guerra chegou assim, de mansinho, quase sem se dar por ela. Desta vez é mesmo aqui em baixo, ali, na outra margem do Mar Mediterrâneo. Mais uma vez as forças militares ocidentais avançam sobre um país soberano com o objectivo de defender as populações locais da fúria do tiranete de serviço. Tiranete que ainda ontem era amigo do peito (e muito bem recebido) de alguns dos que agora cerram fileiras contra ele. Lembram-se de Saddam Hussein?

O folclore mitológico dos mísseis Tomahawk volta a ocupar as primeiras páginas dos nossos jornais. Mais uma vez estamos em guerra, na defesa dos ideais democráticos. Por acaso, tal como no Iraque, também a Líbia é um importante país produtor de petróleo. Mas deve ser apenas por acaso. No Sudão, para dar apenas um exemplo, há crimes confirmados contra a humanidade mas ninguém lá vai meter o bedelho. Ao que parece, ali, não vale a pena.

3 comentários:

expressodalinha disse...

Claro que tudo isso é verdade. Tb não concordo que entrem por ali dentro (porque não vão à China?!).
Mas o Coronel assinou a sentença qd do atentado de Lockerbee. Os países tb têm memória.

Silvares disse...

Terá sido por isso que libertaram o bombista de serviço (era uma questão humanitária) e depois foi recebido em Tripoli como um herói. O Coronel é completamente louco. Tem ar de junkie.

expressodalinha disse...

Concordo.