terça-feira, abril 13, 2010

Viva a liberdade de expressão!



O meu peito enche-se de um estranho ar puro quando ouço estas palavras de Cidinha Campos. O mês de Abril em Portugal é cheio de significados políticos. Dentro de dias comemoramos o 36º aniversário da Revolução que nos criou expectativas enormes em relação à possibilidade de uma sociedade democrática. Expectativas essas que, a cada ano que passa, vão esmorecendo até restar apenas uma caricatura da esperança que tivemos. Então surgiu esta senhora, surgiram estas palavras, esta paixão, este arrebatamento, esta beleza quase selvagem e, da primeira vez que ouvi, as lágrimas chegaram-me aos olhos. Não sei quem é esta senhora, estou longe de compreender a política brasileira. Mas não é preciso mais nada. Basta ver e ouvir Cidinha para sentir a chama que se reacende. A paixão pela vida e pela liberdade de expressão encontram aqui um momento bem alto. Viva Cidinha!

6 comentários:

Eduardo P.L disse...

Fiquei impressionado com a grande REPERCUÇÃO, aqui no Brasil, e fora dele, da manifestação da Deputada!
Sinal que mais gente precisa se indignar!Esta faltando indignação!

Silvares disse...

Em Portugal teve direito a transmissão nos principais jornais televisivos e grande divulgação na internet. Falta indignação e falta acção.
Um abraço.

Eduardo P.L disse...

Só agem os INDIGNADOS

Caçador disse...

Olha, eu também. Deve ser da idade. Ou da puta da vida que nos tramou as voltas.

Viva a Cidinha!

peri s.c. disse...

Cidinha é deputada estadual do Rio de Janeiro.
Belo momento.
Que não vai dar em nada, infelizmente.
Prevalecerá o simulacro democrático. E como diria o inspetor, nas cenas finais do filme Casablanca : " Prendam os suspeitos de sempre."

Anónimo disse...

Como sou de São Paulo, faz um tempão que não ouço falar da Cidinha Campos. Me deu engulhos só de ver o pessoal rindo, logo quando ela começou a discursar. Me lembrei de uma frase do grande Stanilaw Ponte Preta, e que vem a calhar: ´´Quando estamos fora, o Brasil dói na alma; quando estamos dentro, dói na pele.´´
abração Silvares
madoka