terça-feira, dezembro 25, 2007

O fiel amigo




Ainda há muito quem recorde que chamamos ao bacalhau "o fiel amigo". É uma designação algo estranha para um peixe, não acham? Dizemos também que o melhor amigo do ser humano é o cão mas o bacalhau bate-se bem com o quadrúpede, aqui por estas bandas. O bacalhau tem desde logo uma vantagem sobre pastores alemães, chiuhauas e buldogues, a gente come-o! Ainda por cima há mil e uma (ou duas) maneiras de cozinhar o bacalhau o que dá para satisfazer praticamente todos os gostos, mesmo os mais esquisititos.
Nesta época de Natal, em Portugal, pelo menos, come-se bacalhau ás toneladas. Cozido, assado na brasa, com natas e couves e batatas, as maneiras de cozinhar este amigo de longa data esgotam a imaginação do português humano.
Ainda ontem comi bacalhau. Nem gosto muito de ver o bicho deitado no meu prato mas enfim, Natal obriga e, vamos lá, até nem sabe tão mal quanto poderia parecer quando era criança e fugia dele como o diabo foge da cruz. O Natal é daquelas épocas em que um gajo parece não resistir a certas tradições. A árvore de Natal (tenho uma artificial "made in Vietnam!!!), as prendas, a reunião de família... o bacalhau. A quadra natalícia sem estes ingredientes não sabe bem, muito menos fica completa. Acabo de regressar de casa dos meus pais onde fui passar os últimos dias. Três ou quatro dias passados a comer e a beber em frente à lareira. A conversar, a rir. Três ou quatro dias a sentir que sempre houve, há e haverá um lugar onde o tempo não passa da mesma forma que passa noutros lugares, onde as recordações de muitos anos se cruzam com premonições de diferentes futuros. Os filhos, os sobrinhos, a criançada toda. Os familiares, os vizinhos, a casa.
E ele lá estava, como sempre, deitado e à espera que lhe espetasse o garfo. O fiel amigo, sempre presente, dê lá por onde der, cozido, assado, com natas, couves, batatas...

8 comentários:

Só- Poesias e outros itens disse...

Adorei.
Estou no Brasil, e aqui tb o nosso melhor amigo foi o bacalhau.

Ju gioli

Olaio disse...

Parece que a expressão "fiel amigo" advinha do facto de ser barato e portanto, em qualquer altura estava na mesa do povo.
Porém, olhando para as tabuletas que actualmente os acompanham dos mini aos super mercados, também este parece ter abandonado a sua amizade com o povo... Fiel, só na memória.

Eduardo P.L. disse...

Silvares,

bacalhau nunca foi o meu prato favorito. Até comer um bacalhau a GOMES e SÁ feito pelas mãos sábias da Maria Portuguesa, uma pessoa que trabalha para a avó dos meus filhos muito antes de nascerem. Me refiro a mais de 35 anos... Desde então o bacalhau da Maria virou um prato dos DEUSES. Dia 24/25 comi o Gomes e Sá, e estava divino, como sempre!

guida disse...

Não posso deixar de sorrir a imaginar o petisco que o Gomes e Sá seria/estaria...
A ideia era partilhar o desamor ao bacalhau que me possuía até que começaram a ter uma travessinha especialíssima para mim, só para mim, gentil criança, com... bacalhoa! Era divina e saborosa, esta! Até que pelos 10, 11 anos, passei pelo vexame de descobrir a verdade! Foi pior que descobrir que o Pai Natal também não era bem o que eu pensava...
Mas, olha, o pior é quando deixa de existir o tal lugar onde o tempo não passa da mesma forma! Aí é que não há volta a dar-lhe!...
Viva o bacalhau, fiel amigo!

mumia disse...

Um dia destes o Fiel Amigo desaparecee dos nossos mares. Extinto... Com saudades ou não.

Lord Broken Pottery disse...

Silvares,
Ontem comi bacalhau. É um prato maravilhoso, dos meus preferidos. No caso, uma lasagna de bacalhau. Sei que é pouco ortodoxa mas estava deliciosa.
Passei para desejar-lhe um 2008 muito feliz. Foi muito bom ter estado consigo em 2007.
Grande abraço, amigo

CresceNet disse...

Gostei muito desse post e seu blog é muito interessante, vou passar por aqui sempre =) Depois dá uma passada lá no meu site, que é sobre o CresceNet, espero que goste. O endereço dele é http://www.provedorcrescenet.com . Um abraço.

Silvares disse...

Amigos, aproveito para desejar um bom ano novo a todos. Acabo de regressar das ramblas de Barcelona. Deixei a Catalunha banahda por um sol intenso e vim encontrar Lisboa cinzentona e chuvosa... tristito. Por aqueles lados o fiel amigo é o "bacalao".
:-)