quinta-feira, dezembro 20, 2007

Interlúdio



Francisco Goya, o Surdo. A noite passada andei com um livro sobre a obra de Goya e um catálogo de uma exposição de gravuras da sua autoria para trás e para diante. Folheei, li. Voltei a folhear e a reler. O surpreendente Goya. Uma visita ao Museu do Prado, em Madrid, para ver alguns dos trabalhos do Mestre. Incomparável Goya. Quase Deus, revelado na genialidade de Goya. Deus quase é revelado. Ah, enormérrimo Goya!

2 comentários:

Eduardo P.L. disse...

ENORMÉRRIMO!!!!!!!!!

Só- Poesias e outros itens disse...

Goya será sempre Goya. Força e paixão pela pintura, como ele são poucos.


ih! tem letrinhas aí em baixo, preciso buscar meus óculos.Vou tentar..b...q, ou será um g, cv, acertei, pp, ainda bem que tem dois, um o e depois um w, ou será um v?