quarta-feira, janeiro 10, 2007

Charlatanice

Já começou!
Hoje tinha na caixa do correio este magnífico desdobrável bem demonstrativo das "forças" que por aí se movem na penumbra da estupidez e na escuridão mais atroz da crendice bossal.
O discurso é canhestro e obtuso. A tacanhez da mensagem está bem patente na forma contraditória como a ideia principal é veiculada. No 3º parágrafo (referente à 2ª imagem) a vertigem do redactor leva-o a apelar confusamente ao voto no NÃO podendo mesmo ler-se a frase com sentido contrário.
Apela-se ainda à oração utilizando o publicitado "Terço da Vida"que poderá ser adquirido mediante o envio de um donativo de 10 € em troca do qual o benemérito beato receberá também um livro ilustrado, "O Rosário da Vida" de 54 páginas. Quem não souber ler poderá contemplar os bonecos.
A imagem da "capa" mostra uma Virgem que chora, com uma lágrima a despencar em contraluz e o ar sofredor que caracteriza este ídolo de madeira pintada (aqui a preto e branco), numa tentativa descarada de humanizar aquilo que a própria igreja afirma combater: a mais rasteira idolatria.
Pelo exemplo ficamos elucidados da "elevação" do debate que se avizinha e da dimensão argumentativa de alguns dos movimentos defensores do "NÃO".
Estamos perante um exemplo da mais pura charlatanice dirigida aos pobres de espírito que confiam no Reino dos Céus.
Paz às suas almas.
O desdobrável tem ainda uma morada de e-mail accaofamilia@netc.pt para o qual irei enviar a morada do 100 CABEÇAS. Sinto que tenho o direito de lhes meter na caixa do correio aquilo que bem me apetecer, tal como eles fizeram comigo.

1 comentário:

Olaio disse...

Também recebi essa "linda" mensagem, que ao que parece circula, no mínimo, pelo concelho de Almada, não fiquei admirado, acho que a nojice ainda só agora começou, tenho a impressão que desta vez os "partidários do não" vão exceder-se e em muito na baixeza. O que achei piada foi que aproveitassem a questão da IVG para andar a sacar dinheiro aos crentes, não há dúvida de que são capazes de tudo.
Também eu peguei no postal, dei largas à minha indignação e enviei ao remetente, não só o postal que recebi, mas um outro que no chão encontrei, assim esses pulhas sempre tem que pagar mais dois postais prenhos de “elogios”.