sexta-feira, setembro 30, 2011

Uma coisa nova


Já tinhamos o Capitalismo Selvagem, coisa mais ou menos usada e meio escondida que vimos a conhecer melhor nos últimos tempos. Agora começamos a perceber que, na China, há mesmo uma coisa nova, uma coisa que poderíamos chamar de Capitalismo Comunista.

Se os sinais enviados desde Pequim nos anos mais recentes não fossem o suficiente para podermos acreditar que, de facto, por lá se anda a construir essa espécie de Frankenstein político-social, a notícia recente de que um tal de Liang Wengen (ler aqui) se está a chegar ao Comité Central do Partido Comunista Chinês é elucidativa.

O senhor Wengen representa "as mais avançadas forças produtivas", eufemismo chinês para designar uma sanguessuga capitalista, um empresário cujo único objectivo é o lucro, personagens que, durante a Revolução Cultural eram considerados pouco mais do que demónios (talvez até fossem considerados menos), mas que agora surgem como uma espécie de nova vanguarda, admirável e, sobretudo, vanguarda exemplar.

O que se pode esperar de um sistema como este? O Capitalismo Selvagem já nós conhecemos e sabemos (mais ou menos) do que ele é capaz para satisfazer o seu apetite impossível de satisfazer. E deste novo primo, um nadinha mais jovem, que agora vê despontar os primeiros pêlos púbicos, lá para os lados do Oriente, o que poderemos nós esperar?

Seja lá o que for, será, decerto, bom e bonito. Como é costume.

2 comentários:

expressodalinha disse...

O que aconteceu na Rússia é elucidadtivo do que vai acontecer na China, em grau MUITO mais elevado. Ter dinheiro na China não é "pecado". Os chineses acreditam que qt mais ricos e espalhafatosos forem nesta vida, melhor ficarão na "outra vida", depois da morte. É um capitalimo comunista(?) e filosófico.

Silvares disse...

Jorge, haja FÉ e nada lhes faltará!