quinta-feira, setembro 22, 2011

Mémé

Nunca te apeteceu pegar num martelo e perguntar " quem é quem?" a este mundo de merda?
Se nunca sentiste esse impulso peço perdão por te informar que: ou és um "deles" ou então mereces ser tosquiado na próxima estação, quando vierem por aí abaixo os gajos que nos rapam o pêlo, nos afinfam um carimbo no lombo e gritam por cima do ombro: "venha outro!".

Se aquilo que atrás ficou escrito fez saltar alguma pequena peça do teu corpo, não hesites mais; pega no martelo, aperta-o bem, até que faça parte do teu braço, olha o mundo nos olhos e faz a pergunta, como se fosses a rainha má da Branca da Neve: "quem é quem?". O mundo deve-te respeito. Exige-o, não sejas carneiro ou ovelha mansa. Transforma o teu balido num som que se ouça de outro modo.

7 comentários:

Eduardo P.L disse...

Bom texto de um filósofo sonhador!

expressodalinha disse...

Os desabafos às vezes são acção.

Olaio disse...

Não podia estar mais de acordo.

Rui Sousa disse...

Eu prefiro miniaturas de estátuas da catedral de Milão em ferro. Quando bem apontadas ao alvo, são imbativeis.
Bom texto. A qualidade também é uma arma, que na grande maioria dos casos nos ... desarma, por completo.

Silvares disse...

Eduardo, muitas vezes são mais pesadelos...

Jorge, concordo plenamente.

Olaio, por vezes estamos de acordo.
:-)

Rui, essa tal miniatura é um exemplo marcante.

the dear Zé disse...

ámen!

Beto Canales disse...

Amém mesmo!!!