domingo, outubro 02, 2011

O Futuro

O Futuro é uma coisa mais ou menos misteriosa por estarmos sempre a viver no Presente. Há quem diga que o Futuro depende do Passado mas, estou em crer, isso não é bem assim e talvez até seja ao contrário. Talvez o Passado dependa mais do Futuro que vice-versa.

Isto porque são os vencedores que governam o Futuro aqueles que determinam a melhor forma de explicar o Passado que os conduziu até ao poder que agora ostentam e utilizam como se fosse um objecto de luxo rebrilhante.

Diz o povo que "o Futuro a Deus pertence" mas nós, que vivemos o Futuro entretanto transformado, primeiro em Presente e logo depois em Passado, sabemos bem a quem pertence  o quê e percebemos que a sabedoria popular por alguma razão o é e quanto fica a dever, em perspectiva e exactidão, à outra sabedoria, aquela que vem impressa em letra de imprensa e faz escola.

Deus não é para aqui chamado por ser coisa encerrada em doutrinas que O não deixam sair de onde está e que acaba quase sempre por ser algo que poucos acreditam que Ele possa ser. O Futuro é coisa que parece estar fora do Seu divino alcance, enquanto Ele for aquilo que dizem que Ele é e não aquilo que Ele é, lá na Sua inalcançável realidade metafísica. Acredito que lá, onde Deus vive, não há Passado, nem Presente, nem, por maioria de razão, há Futuro nenhum e nem isso Lhe interessa.

O Futuro é uma coisa complexa, imprevisível, caprichosa como uma tempestade tropical ou uma menina mimada. Talvez a coisa mais parecida com o Futuro seja Deus. Sentado no Seu trono, lá naquele lugar onde mais ou menos existe. Sem Passado, nem Presente, nem, por maioria de razão, a mínima sombra de Futuro.

Neste passo o leitor, já algo aborrecido com os tropeções da lógica ao longo deste pequeno texto, dirá: então o Futuro existe num local onde não há Futuro? Eu respondo: Precisamente!

6 comentários:

Eduardo P.L disse...

Filosofando, hem?

Silvares disse...

Sempre.
:-)

Beto Canales disse...

Futuro, à direita. Ironia...
Sarcástica...
pranizz

banzai disse...

Rui, hoje vou de Caieiro, sorry :) "Eu não tenho filosofia:
tenho sentidos...
Se falo na Natureza
não é porque saiba o que ela é,
Mas porque quem ama
nunca sabe o que ama
Nem sabe por que ama,
nem o que é amar...
Amar é a eterna inocência,
E a única inocência
não-pensar...”
hehehehehehe
beijinhos
Madoka

the dear Zé disse...

o sinõr já experimentou as runas ou o tarot, as folhas de chá ou as tripas de alheira, a pitonisa ou uma fatia de pisa...
haverá certamente uma receita para a sua maleita...

Silvares disse...

Beto, praticar o sarcasmo é como tomar um banho pela manhã.

Madoka, amar é isso mesmo e eu amo o Ser Humano!

Dear Zé, já experimentei tudo isso e continuo com as tripas de fora. Problema meu.