sexta-feira, julho 02, 2010

Olha eu!

Coisa máilinda!


Neste campeonato do mundo de futebol há um pormenor que me tem divertido bastante. Falo da maneira como as pessoas se comportam quando se vêem nos écrãs gigantes que se encontram nos estádios.

A coisa começa nas imagens das transmissões televisivas ainda antes de o jogo começar. As câmaras vão focando os espectadores mais vistosos, que nas bancadas há sempre quem invente personagens coloridas. Estes, quando se apercebem que estão expostos no écrã, sorriem, saltam, acenam para si próprios, num frenesim de felicidade incontrolável. Depois começa o jogo e os realizadores concentram-se no que se vai passando dentro das quatro linhas.

Aí o protagonismo é dos jogadores. Cristiano Ronaldo, só para dar um exemplo (Káká também é jeitoso), passou os jogos a olhar para cima. Quer dizer, não era bem para cima, que os olhos não procuravam o céu, era para aquele espaço intermédio, entre o céu e a terra, onde estão suspensos os écrãs. Disfarçadamente os jogadores admiram-se na sua imagem projectada. Uns mais do que outros que a vaidade humana não tem sempre o mesmo peso. Mas é engraçado verificar como não resistem ao apelo gigantesco dos écrãs.

Estou em crer que a coisa os deve desconcentrar, "Olha, tenho a sobrancelha mal depilada" e não deve dar grande confiança ao companheiro de equipa que não tem relevância mediática, "Lá está outra vez aquele palhaço a olhar para o écrã em vez de tentar perceber onde está a bola".

Nas bancadas poucos são os que não se apercebem da coisa, o que também não contribuirá para que sigam o jogo com toda a atenção. Enfim, é um fenómeno tecnológico com influência ainda por quantificar em termos de influência nos resultados finais dos desafios. A Ronaldo já ninguém lhe tira a fama de estar mais interessado em admirar a sua extraordinária beleza física do que chutar a redondinha, o que terá transformado em monstro horrível o futebol por ele praticado neste campeonato do mundo.


Se eu fosse seleccionador no próximo mundial, havia de escolher os jogadores mais feios e menos adorados pelas adolescentes. Talvez assim pudesse chegar mais longe e ganhar o campeonato, quem sabe? Vivam os feios que os lindinhos não têm vida pra isto!!!

6 comentários:

Eduardo P.L disse...

As desculpas para as precoces desclassificações ( França, Inglaterra, Brasil e Portugal) serão muitas, como a bola, o campo de grama mista, e por aí afora! Mas na verdade cada um dos times com seus jogadores internacionais, com treinadores internacionais, jogaram com tecnicas e esquemas internacionais, com juizes incompetentes, numa copa que mostrou que o futebol hoje é outra coisa. E é preciso nos acostumarmos, pois, aquele esporte de antigamente nunca mais!

Lais Castro disse...

São sempre muito interessantes as suas publicações, gosto do seu estilo de escrita. Sempre dou uma passada pelo seu blog, muito embora nem sempre eu comente.
Abraço.

luisM disse...

Compadre, apoiadissimo. Feios, mal cheirosos, com a barba por fazer e palito nos dentes, o cabelo cortado à tijela.
Com barrigota de cerveja não convém!
Ao Ronaldo devia o Michael Moore convidar para um dos seus documentários, assim retóricos.
O maravilhoso rapaz já me faz lembrar mais um "artista" (de circo, por exemplo, porque até tem jeito para brincar com a bola), que um jogador de futebol integrado numa equipa. Foi tão previsível que, no jogo com o Brasil, lhe tiravam a bolinha com uma limpeza, ficando uma imagem trapalhona para seu desespero (no écran gigante).

Silvares, inicia a petição que eu assino...

Analuci disse...

Concordo com Eduardo: "E é preciso nos acostumarmos, pois, aquele esporte de antigamente nunca mais! "

Silvares, concordo com vc. As pessoas tem mais ego inflamado que raciocínio...

expressodalinha disse...

Sem dúvida o "telão" é o responsável por muito penteado e despentado. No nosso caso não é desculpa. Basta olhar o Eduardo,o Pedro Mendes ou o Danni para as tv's se assustarem. Já o depilado KaKa e o mimado CR andam a precisar de um traumatismo facial.

Silvares disse...

Eduardo, não é uma desculpa. Eu até penso que o time de Portugal fez o que estava ao seu alcance. Não era grande coisa. Mas os écrãs com imagens do jogo em directo, as vuvuzelas e as cervejas em garrafa nos estádios fazem deste campeonato uma coisa especial!

Lais, grato pelas suas palavras e agradado com suas visitas.

Luís, podemos organizar uma petição online "Por uma selecção de feios". Fica a ideia.

Analuci, num mundo globalizado o futebol não podia manter-se sempre igual. Agora o que se passa nos mídia tem quase tanto interesse como o que acontece dentro do gramado.

Jorge, esses não olharam muito para os écrãs mas, mesmo assim...