sexta-feira, maio 29, 2009

O entusiasmo


Um gajo pode saber muito sobre determinado assunto e estar disposto a partilhar essa sabedoria com outras pessoas. Mas, se não colocar algum entusiasmo na sua acção, a coisa pode falhar. Um outro gajo pode não saber nada de especial, ter apenas algumas luzes sobre o mesmíssimo tema (de que o gajo da 1ª frase é renomado especialista) e, graças a um entusiasmo apaixonado, conseguir um êxito muito maior perante uma plateia de seres mais ou menos vivos e atentos.

Ninguém ensina nada a quem não quiser aprender. Isto é mais evidente que outra qualquer evidência. Assim, a principal tarefa de quem deseja ensinar alguma coisa, é despertar no outro a vontade de aprender essa coisa. Seja a melhor maneira de cozer um ovo de garnizé ou a espantosa variedade de linguagens plásticas na arte contemporânea. Um tema chato pode transformar-se na coisa mais entusiasmante do mundo, tal como um tema apaixonante se pode transformar num verdadeiro soporífero.

Estou em crer que o segredo (isto é um segredo!?) reside no entusiasmo. A nossa capacidade de mergulhar completamente no acto de comunicação é fundamental para podermos aspirar a ter êxito.

Isto é válido para um professor, para um artista, para um desportista ou para um caixa de supermercado. É válido para todos nós. Entusiasmo pela vida, paixão pela comunicação precisam-se com urgência e em permanência.
Não sejamos chatos.

22 comentários:

roserouge disse...

Concordo. O pior insulto que se pode chamar a alguém é "tu és um chato!" Ou coisa assim.

Silvares disse...

Por acaso, ao reler este post, fiquei com a sensação de que é um post bastante chato!
:-(

Eduardo P.L disse...

Pelo contrário: um alerta aos que ainda não ficaram chatos! Os chatos não tem conserto.
Mas fazer as coisas com empenho e alegria é a chave do sucesso, não só do professor, mas do indivíduo comum, por toda a vida!
Viva o empenho! Abaixo os chatos!E os chatos empenhados são duplamente chatos!

peri s.c. disse...

Nada pior que um chato animado.

expressodalinha disse...

Esta assino por baixo!!!

Beto Canales disse...

eu tbm

Silvares disse...

Eduardo, a Web está a ficar chata?
;-)

Peri, por vezes não conseguimos fugir à chatice. Um chato animado é pior que um chato desanimado, nisso estamos de acordo!
:-D

Jorge, fugir à chatice nem sempre é uma tarefa fácil.

Beto, já somos dois. Pelo menos.

Eduardo P.L disse...

Silvares,

podemos mudar o mote para:
"Há muitos CHATOS na WEB!"

Isabel disse...

Gostei do teu post.
E podes pensar que tenho a mania da preseguição, mas eu sou uma pessoa animada, por natureza, em tudo o que faço. Isso, muitas vezes, faz levantarem-se forças contrárias querendo fernar o meu entusiasmo.
É a vida...
Bjos Isabel

Selena Sartorelo disse...

Mas a vida é assim entre chatos e não chatos...O consolo é que enquanto rotulamos alguém de chato outro alguém está fazendo o mesmo com agente. Conceitos chatos dependendo do chato que a ouvi ou fala. Com tanto a nos preocuparmos... administrarmos a minha ou a sua chatice pode ser até divertido.
beijos,
Selena

Silvares disse...

Eduardo, na verdade há muitos chatos no mundo inteiro. Mas, estou em crer, que não são a maioria!
:-)

Isabel, há que manter a animação, o entusiasmo...
:-)

Selena, isso é verdade. Não podemos pensar que a chatice é um exclusivo alheio. Isso é que não!

ovelha.negra disse...

Gostei do post e da simplicidade do mesmo. O próximo passo é dá-lo a conhecer a um ou outro dos meus professores.

MarinaRuiz disse...

Este tema relacionado com a chatice, o aborrecimento e o pouco entusiasmo remete-me inevitavelmente para um ser humano. Tem toda a razão no seu post e você é um bom exemplo disso, na medida em que, nas suas aulas de história tenta sempre não levar o tema para a chatice acabando por conseguir receber uma razoável atenção da nossa parte. Muitos mais deviam ser assim. Já agora, a fantástica Susan Boyle perdeu para um tal grupo de dançarinos chamado Diversity. Depois de tantas visitas no youtube e ter sido comentada pelo mundo inteiro, não serviu de nada. Ahah.

jugioli disse...

~Saber compartilhar com entusiasmo já é uma grande sabedoria, por acreditar naquilo que se diz com alegria de vida... vira tudo verdade de alma, talvez seja esse o segredos dos grandes sábios, e um grande presente para quem sabe ouvir.

@dis-cursos

disse...

..chatos muitos... quase todos... por vezes mais ou menos...se for um dia onde estás "chato" provavelmente o outro assim vai te parecer...mas tudo passageiro...agora chato sem remédio é aquele que desencadeia sem parar a falar de si com entusiamo na porta do laborátorio de Análises Clínicas as 7 da manhã...seu carro já na porta,sem nem mesmo perguntar o que fazes alí...Como diz o Peri...que nos livremos do chato..Animado!
TRISTE!
;-)

imelda disse...

Excelente texto, como sempre.

Só nos lembramos dos professores, que foram capazes de criarem em nós esse entusiasmo...dos chatos, que chatice!
Concordo, é urgente inventar o entusiasmo pela vida.
Porque não é o talento que faz o Artista, mas o amor á Arte.

Silvares disse...

Ovelha Negra, pode não dar grande resultado!

Marina, grato pelo reconhecimento. Ao menos isso. Quanto à Miss Boyle acho que aquilo tudo há-de ter servido para alguma coisa. Não sei para quê, uma vez que não sou ela...

Ju, aqui há uns tempos li uma frase interessante, era mais ou menos assim "saber ouvir quase que é responder"...

Ví, não deixa de ser estranho que um chato possa ser simultaneamente animado o que o torna ainda mais chato. A existência humana está repleta de mistérios!
:-)

Imelda, sejamos entusiastas!

Lina Faria disse...

Li todos os comentarios. Viva o entusiasmo, sim. Sem ele, melhor nem sair da cama.
De chato entusiasmo, fuja. ele sempre vai achar outro chato.
Sobre Susan Boyle, ele é talentosa mas bem chatinha, né?
abc.
Lina

Jo-zéi F. disse...

fez-me lembrar os desenhos do Robert Crumb.

- nã dexam a malta em paz!!!!
- pai dá-me $$$$$$$

:-))

Jo-zéi F. disse...

Rui: peço desculpa,
a minha mensagem anterior deveria ter entrado na "Adultescência".
- What a misteika to meika!!!
( Malucos do circo...???, anda por aí).

Conceição Duarte disse...

"O ENTUSIASMO"

VOcê tem total razão! Há que despertar no outro a vontade do aprender... Sem isso, nada é possível, tem que se bom o suficiente para acordar aquele que quermos ensinar.

Um beijo adorei esse post, CON

Alice Salles disse...

Exato, se apaixonar pelo o que faz ou qualquer coisa é a chave de tudo...