domingo, dezembro 10, 2006

Valha-nos Deus!

O criacionismo está a chegar!
Lá por estarmos no cú da Europa não nos livramos desta. Vinda lá dos confins do Novo Mundo esta teoria ridícula está aí e há mesmo quem a leve a sério. Há mesmo quem acredite que o planeta tem menos de meia dúzia de milhares de anos e que foi Deus quem criou Adão e Eva (esta a partir de uma costela daquele) e que isso é um "facto" incontestável. Há mesmo quem acredite em todas as histórias da bíblia e faça profissão de fé em cada patranha ali contida, esteja ela escrita em aramaico, em polaco ou em mandarim, não importa como nem por quem.
Há quem pretenda contestar a ciência com "factos" que têm como única prova a fé que professam.
Sim, porque primeiro que tudo será necessário acreditar em deus uma vez que continuamos à espera de uma prova da sua existência.
A fraqueza maior desta "teoria" reside precisamente no facto de ser preciso ser um grande macaco para acreditar nela. Logo, está bom de ver, cada macaco criacionista está a confirmar os postulados maiores do avô Darwin.
Valha-nos Deus!

2 comentários:

amigodaonça disse...

Olá, boa noite. Pena hoje não ter tempo de apontar aqui uma ideia, mas vejo que o meu amigo já se adiantou, completamente. Estas temáticas que referiu são, deveras, interessantes. Valia a pena parar um pouco e olhar para o sentido dos seus últimos apontamentos. Claro, com o creacionismo à cabeça; é um tema tão absurdo para o mundo ocidental (igualzinha à perspectiva das madraças muçulmanas), que até parece impossível como o presidente dos EUA seja da mesma cepa. No fundo, que guerra é que está no tabuleiro? Que história é esta salganhada toda? Parace o navio do Nosferatu, depois deste ter dizimado toda a tripulação!

té logo (voltarei quando puder, se o meu amigo mo permitir, é claro. O blog é seu)

Silvares disse...

Todos os amigos (mesmo os da onça) são bem vindos... venham por bem ou nem por isso.
Os seus comentários são sempre interessantes. Não espero ter sempre razão ou sequer estar sempre a pensar com agudeza de espírito, bem pelo contrário. Daí que, por vezes, uma vozinha ao ouvido até faz muito jeito e aclara o espírito.