sábado, março 31, 2012

Simplicidade

Afinal o nosso cérebro tem uma estrutura bem mais simples do que era imaginado. Um artigo científico recente mostra que as ligações nervosas dos nossos cérebros se organizam em estruturas reticulares e não como um confuso ninho de cobras, como muita gente poderia pensar e estaria bem mais de acordo com a nossa natureza.

Ainda iremos descobrir um dia que somos apenas máquinas, concebidas e desenhadas por outras máquinas, que as nossas vidas pouco mais são que jogos para divertimento dos nossos criadores, assim à maneira do jogo dos SIMS.

Ou talvez sejamos apenas personagens (nem máquinas chegaremos a ser?), projecções incorpóreas dotadas da capacidade de sonhar que possuem um corpo. Talvez não sejamos nada disso nem aquilo que imaginamos ser.

Sinceramente não sei bem se gostava mais de ser uma máquina ou uma personagem de um jogo de computador. Não sei bem se gostava mais de ser um animal que pensa que pensa ou uma coisa fabricada nalguma instalação industrial extra-terrestre, uma espécie de monstro horrendo aos olhos dos mais sensíveis de entre a espécie dos meus criadores.

Tudo isto porque, afinal, o nosso cérebro é parecido com uma pintura de Mondrian só que muito, mas mesmo muito, complicada. Mondrian disse um dia que a sua pintura pretendia revelar a verdade do universo, a essência das coisas para lá do véu que as cobre e oculta, o véu a que chamamos realidade.

Talvez a percepção plástica do velho pintor estivesse mais próxima dos seus objectivos do que ele jamais possa ter imaginado.

2 comentários:

Eduardo P.L disse...

"Talvez a percepção plástica do velho pintor estivesse mais próxima dos seus objectivos do que VOCÊ, RUI, jamais possa ter imaginado".srsrs

Silvares disse...

Bem observado.
:-)