sábado, março 10, 2012

Au revoir

Acabo de saber que morreu Jean Giraud, também conhecido por Moebius (ou vice-versa). Giraud foi um dos mais extraordinários desenhadores que o mundo já conheceu. Desde miúdo que acompanhei com admiração e reverência a sua obra extraordinariamente variada.

Giraud desenhava como se falasse. As suas personagens raramente repetiam um gesto, os seus cenários eram sempre de uma minúcia e de uma inventividade de cortar o fôlego. Tenho muitas das suas obras nas minhas prateleiras que vou lendo, relendo ou, simplesmente, admirando. Quantas vezes tentei copiar os seus desenhos!

Fiquei triste com a notícia. Foi como se tivesse falecido um amigo chegado. É uma sensação estranha.

Au revoir, mon vieux ami.

9 comentários:

Rui Sousa disse...

Um dos grandes responsáveis pela minha contaminação precoce com o vírus da b.d., uma doença que consumiu uma parte considerável do meu tempo de juventude e que deixou marcas profundas no meu comportamento e personalidade. Grande Giraud.

expressodalinha disse...

Sem dúvida uma grande perda. Extraordinários desenhos a 3 D.

Silvares disse...

Rui, para quem cresceu a ler BD este homem foi quase um Deus.

Jorge, Giraud fez do meu salazarismo algo um pouco mais colorido. Abriu-me muitas portas para outros mundos... e eu fui.

Li Ferreira Nhan disse...

Emocionante, sensível e muito verdadeiro o post e os comentários.

the dear Zé disse...

et oui, c'est ça
estive aqui a olhar para os livros dele, o homem tem uma obra do caraças e que lhe garante um lugar no panteão dos imortais,
mesmo assim é lixado

c'est la vie

peri s.c. disse...

Alguns tem certos dons. ele era um deles.

expressodalinha disse...

Rui: concordo.

banzai disse...

obrigada Rui por apresentar o Jean Giraud, eu realmente não conhecia, vou ali então conhecer um pouco do seu mestre. Thanks.
madoka

Silvares disse...

Li, há pessoas que se transformam em saudade.

Dear Zé, c'est la mort.
:-(

Peri, sem sombra para qualquer dúvida. Um homem maravilhosamente talentoso.

Jorge, ainda assim há muitas coisas a preto e branco que são agradáveis.

Madoka, um desenhador sem fim...