sábado, março 01, 2008

Juno, nome de divindade


http://www.foxsearchlight.com/juno/

Ora aqui está um filme que põe uma pessoa com a moral em cima. A narrativa passa por nós a correr, ligeirinha, com pantufas de peluche. O casting é absolutamente irrepreensível. Cada uma daquelas personagens é exactamente aquele actor e vice-versa. A banda sonora dá à coisa aquele aspecto adolescente, meio desajeitado, a namorar a borbulha infectada. O argumento foi "oscarizado". É um bom argumento, com muito pouca moral americana, mas também não chega a ser bem uma crítica feroz. Para utilizar uma linguagem mais a dar para o crítico encartado, diria que se trata de um argumento mordaz. As personagens são (quase) todas tão positivas que se nota perfeitamente estarmos perante uma fábula. Não há tanta gente tão fixe assim aglomerada por metro quadrado. Uma história tão mirabolante só pode ser do tempo em que os animais falavam e se pareciam tanto com pessoas que agora confundimos tudo e não percebemos quando estamos a ver um elefante ou uma girafinha bébé que, realmente, não são pessoas embora pareçam mesmo. São animais que falam. Não há pessoas daquelas! Não há pessoas tão boas e, muito menos, com um sentido de humor tão arrasador e contínuo.
Enfim, um filme light que faz bem ao corpo. Para limpar a alma.

Segue o tema musical que abre o filme (não sei quem é o cantor mas, já agora, há mais uns quantos vídeos interessantes entre os que o YouTube oferece)

6 comentários:

Eduardo P.L. disse...

Esse com certeza não verei aqui em Floripa!!!

Bom domingo!

LUIZ SANTILLI JR. disse...

Olá Silvares!

Um arco-iris é sempre um rainbow e vice-versa!
Mas pode ser também "l'arc en ciel"!
A gente escolhe segundo nossas idiossincrasias!

Abraço
Luiz

Silvares disse...

Olá Luiz, gostei de o ver nas fotos da entrega do prémio do Varal. Trabalhando com afinco!
:-)
Arco-íris, mesmo assim, tem um som mais de acordo com aquela coisa... digo eu!

Só- Poesias e outros itens disse...

Silvares,
sempre com boas informações.
Vou anotar para ver o filme.


Ju gioli

Silvares disse...

Veja, sim, vai ver que vale a pena.

Silvares disse...

Eduardo, um dia vai ver em DVD com a sua netinha (quando ela tiver aí uns 13 ou 14 anos :-)!