terça-feira, dezembro 15, 2009

Quem colonizou o Brasil? Sei lá!


Quem colonizou o Brasil? Sei lá! (ler aqui) Depois de ler o texto da notícia fico com a sensação que há por estas bandas do Mar Oceano quem se incomode por ter sido esquecido do lado de lá. Vaidade? Interesse? Preocupação genuína com o estado do Conhecimento no mundo em geral e na América Latina em particular?

Esta notícia chamou-me a atenção porque há sempre alguém pronto a indignar-se com a ignorância dos outros no que diz respeito ao passado. Essas pessoas intrigam-me. Qual é o limite razoável para o desconhecimento? 200 anos, pelos vistos, já causa alguma perplexidade. E 300? 600? 1000 anos?

Quem colonizava o território português há mil anos atrás? Decerto muita gente saberá responder a esta questão. Para um por cento da população (ou menos), antes de este bocadito da Terra se chamar Portugal viviam por aqui uns gajos que não eram uns gajos quaisquer. Eram uns gajos específicos. Não tenho vergonha de afirmar que ignoro quem fossem esses ilustres gajos embora pudesse arriscar uma ou outra possibilidade e sorrir no fim. Acertando ou errando no meu cálculo.

Quem colonizou o Brasil? Bom, apesar de falarem português no Brasil talvez haja quem não relacione esse facto com Portugal. Ou então poderão imaginar que os portugueses falam essa língua por influência dos brasileiros, o que, no mundo actual, até faria mais sentido que o contrário. Pessoalmente não me espanto nem indigno que 57% dos brasileiros não saibam quem colonizou o território imenso que hoje se chama Brasil. Quantos de nós conhecem a sua árvore genealógica até mais de 4 ou 5 gerações atrás? Ora se nem a família mais chegada conhecemos bem quanto mais a mais afastada...

11 comentários:

Eduardo P.L disse...

Meu caro Rui,

não se espante! Essas perguntas feitas aleatóriamente, só demonstram o baixo nível de escolaridade das populações, mais especificamente, às brasileiras, no caso presente!
As escolas são de nível muito abaixo do mínimo imaginável. São analfabetos funcionais! Não tema pelos Portugueses, pois que estudou sabe, e quem não estudou não tem culpa! A discução , em outros níveis, é bem diversa, pois discute-se se tivessemos sido colonizados pelos Holandeses, nossa situação cultural seria diversa! Eu pessoalmente, tenho opinição sobre isso, e sempre, quando questionado, digo, teria sido, mas não foi, e nunca seria, pois só os Portugueses tinham, e tiveram a força e jeito necessário para colonizar índios e conviver com os escravos negros! Essa é a razão do sucesso luzitano e fracasso dos brancos franceses e holandeses! A mestiçagem foi a razão do sucesso e das mazelas, atuais e de sempre!

expressodalinha disse...

Assino, Eduardo.

mario nelson disse...

talvez o grande historiador brasileiro HELIO VIANA possa explicar melhor...sou portugues
nasci i vivo na mui nobre e invicta cidade do Porto
tenho carinho e afecto pelo imenso brasil...tenho pena(palavra feia) que na realidade ainda hoje se discuta este assunto
os meus filhos em idade escolar(7º ano) sabem a historia(ou será estoria?)
mas agora temos pela frente o novo acordo ortografico
no brasil uma manifestação tem como nome "passeata"
no nosso Portugal, é mesmo uma manifestação...em que iremos ficar?


mario nelson

Lina Faria disse...

É, além da falta de educação a todos, a História oficial é contestável, mal interpretada e mal passada. Mais ou menos como a Bíblia, hehehe...
Há ainda os que discutem, vejam só, o Tratado das Tordesilhas.
Se os espanhóis fossem nossos colonizadores também, se não seria melhor.
De minha parte, "não brigo com o destino, o que vier eu assino."
Gosto dessa latinidade preguiçosa de Macunaíma- ai, que preguiça...-
mas detesto o descaso dos "espertos" do poder com a formação de verdadeiros cidadãos.
Adoro minhas raizes, afinal sou uma mistura de caxopa com india.
É, meu nome é Adelina, como o de minha avó materna.

Lina Faria disse...

Ah, sem esquecermos, pois, de nossa rica herança indígina e africana. Tanto nas lingua, quanto nos costumes.
Somos todos um mix.

Silvares disse...

Eduardo, Jorge, a questão é: será assim tão importante a consciência do passado numa sociedade de consumo? O consumo baseia-se em viver (e consumir) o dia de hoje. Só o presente parece ter valor!

Mário Nelson, o Portugal brasileiro ou o Brasil português são duas faces do mesmíssimo rosto. Só precisamos de encontrar o espelho certo para nos contemplarmos e aprendermos a gostar daquilo que vemos.

Lina, a questão da herança (cultural, genética?) é algo complexa. Nasci em Portugal mas já não sou capaz de identificar a raíz da minha origem. Celta? Judaica? Quem sou eu? A cor da minha pele e do meu cabelo dizem-me muito pouco. Sei que penso o mundo em Português. Isso é, para mim, o bastante.

Silvares disse...

Ah, o cabelo tende para a brancura. Quando o tempo passa ficamos todos parecidos nesse aspecto particular.

Rui Sousa disse...

O Brasil é um país muito grande e não é só em geografia, é em diferença tb. Se me disserem que 50% de uma determinada elite cultural/ classe média não sabe coisas banais da história fico chocado, mas sendo 50 % da população é diferente. Acho que um índio do interior do país tem mais que fazer do que se preocupar com um modo de cultura escolar que não é e nunca foi o seu. Resumindo, há pessoas que têm a obrigação de saber certas coisas, outras que não. Em relação ao que o Eduardo diz eu não concordo muito. O resultado fabuloso da mestiçagem resultante do cruzamento do português com o indígena, tenho muita pena dizer, mas não me parece que seja mérito do português, mas antes da necessidade que aguçou o engenho ( passo a expressão ). No fundo nós somos iguais aos outros, tb fomos atrás do dinheiro e da riqueza. A única diferença é que a nossa colonização, expansão, emigração, como queiram chamar é a história da nossa solidão, de quem foi para fugir à miséria, e foi sozinho, por conta e risco, sem mulher nem apoios do reino como aconteceu com os outros. Como éramos poucos é óbvio que não nos pudemos impor pela força e aí misturamo-nos. Mas os outros tb se misturaram, gostar de mulheres não é só apanágio do português, só que nós desenrascamo-nos, que é bem diferente dos ingleses que levaram a lei, a escola, a família e a economia atrás, porque tinham força e dinheiro para isso. Agora que o resultado foi diferente não restam duvidas. A história de Portugal tem um lado mais poético e romântico que a de outros países mas isso é outra história…

Silvares disse...

Rui, o Saber é algo que muda conforme o tempo e as circunstâncias. Um tipo pode não saber quem inventou a roda e andar de carro nas calmas!
:-)

Eduardo P.L disse...

Meu prezado Rui,

quando diz que "o mérito do cruzamento, não é do Portugues", não discorda de sua importância na colonização! As causas desse cruzamento não estão em questão, o que importa é o que dele resultou, e só se deu com o Portugues. Tanto o espanhol, holandez, ou frances tinham as mesmas necessidades fpisicas, mas os resultados práticos de suas colonizações, ou suas tentativas, são completamente diversas! E dos ingleses, então, nem se diga!

peri s.c. disse...

Colonizado ?
O processo de colonização é contínuo e infinito, mais agora na dita sociedade globalizada.
Comerciantes aqui acham sofisticado colocarem nas vitrines de suas lojas cartazes com a palavra " sale " em vez de liquidação ( não sei as palavras correspondentes aí em Portugal ).
Nos nomes dos estabelecimentos é presença constante o 'S ( ex Fran's Café e etc ).
E concordo : quem está interessado em história ? escreve-se alguma história com 140 letras no twitter ?