segunda-feira, outubro 12, 2009

A cabeça inchada


Um homem é isso mesmo: um homem, apenas... poucos conseguirão ser mais do que isso. Quando olho para uma foto de Obama, quando vejo imagens de Obama discursando ou Obama fazendo de conta que não se passa nada de extraordinário ao ponto de ir comprar uns hamburgeres à tasca da esquina, vejo um tipo meio perdido nas ruelas esconsas da realidade. Um tipo a quem se exige que seja quase um outro Cristo, um Cristo quase negro como convém à humanidade que seja o próximo Messias. Já andamos fartos da imagem do Cristo loiro de olhos azuis, o Cristo impossível, o Cristo cara-pálida, esse Cristo que apenas consegue fazer empertigar os fantasmas maus (da guerra, do poder económico, da xenofobia e do racismo) e desejamos ardentemente que possa existir um Cristo bom, um Cristo diferente que nos permita acreditar novamente na possibilidade de redenção da nossa espécie e, mais do que isso, um Cristo que nos permita sonhar com um mundo novo no qual a bondade humana ganhe um alento que pensávamos estar perdido.

Cristo que se preze carrega a sua cruz. O comité do prémio Nobel encarregou-se de a colocar no ombro de Obama e agora estamos todos a olhar para ele, coitadinho, como se o mundo lhe rodasse nas mãos enquanto ele, absorto, pensa no futuro e como poderá ser o mundo daqui para a frente. Como se sentirá Obama nesta nova pele que lhe queremos cozer à volta dos ombros? O que lhe rodará no interior da cabeça? Como será para alguém que é igual a qualquer um de nós ver-se transmutado em ícone vivente, esperança de paz num mundo construído sobre um matriz guerreira? Ai, Obama, estás fritinho, meu irmão. Desculpa lá esta merda mas vais ter que te desenrascar. Sinceramente, deposito em ti grandes esperanças mas nao te queria estar na pele. Só espero que numa noite de insónias, quando ajoelhares, cabeça inchada como uma abóbora de Haloween, para rezares ou falares directamente com o Big Boss, não dês por ti a suar sangue.

12 comentários:

Conceição Duarte disse...

Coitado de Obama, esse prêmio veio do nada, antes da hora. Ele mesmo nem acreditou, e se você notar, veja quanto os seus cabelos ja embranqueceram. Muito bom o poder, mas mellhor ainda é pode blogar oque bem entendemos. Isso sim é liberdade. Ele, está frito mesmo. E para fritarem mais ele, não custa muito. Enfim, assim funciona o poder. e nós daqui debaixo, só observamos.
Um beijo, e Paz para o mundo, para OBAMA e para os países que enfrentam guerras sem sentido ( ao menos para nós, gente da paz)
CON

expressodalinha disse...

Mais um caso de pilatismo. Já leste "Margarita e o Mestre"?

Anónimo disse...

concordo, eu também notei Con, os cabelos brancos do Obama.
O FHC, saiu do mandato dele com os cabelos todos branquinhos e o Lula idem. Cá entre nós, não deve ser fácil. Mas entrou na chuva tem que se molhar. E fazer o melhor, para a maioria. Tamô de olho cá, aí e lá né?
um abraço
madoka

Lord Broken Pottery disse...

Silvares,
Muito lúcido o texto. Também vejo o Obama assim, como alguém que precisa carregar um fardo muito grande, em quem todos os olhos estão postos, uma cruz imensa pra arrastar. Tenho um pouco de pena dele, e uma grande admiração, por enquanto.
Grande abraço

Ví Leardi disse...

Silvares, consegues te superar a cada texto...a clareza deste, nos põe de frente com o terrível peso de carregar esta "cruz"...quanto a cabelos brancos...de antes de ontem para hoje com esta coroa, tintos já estarão...de vermelho rubro....
Pobre Homem!!

Lina Faria disse...

É, essa coisa de canonizarem o moço antes da hora vai lhe custar caro.

Eduardo P.L disse...

Não vejo as coisas assim! Um pouco para discordar da unanimidade dos comentaristas, um pouco para fazer justiça ao agraciado. Ele não pediu o premio! Portanto, não deve nada! O cargo de Presidente, que além de quere-lo, lutou muito para lá chegar, dele vem se desempenhando a contento. Sua luta para criar um NOVO seguro saúde nos Estados Unidos tem lhe custado caro, mas suas habilidades políticas certamente lhe valerão uma vitória ( ainda que parcial) no fim. Esse premio se refere à política externa americana e esta ele já mostrou a que veio. Também depois do seu antecessor, não seria dificil mudar para melhor! Mas não se iludam, o maior problema seu, é a política econômica interna! Lá é que ele não pode errar! Lá é que ele será glorificado ou sacrificano, no fim!
Desculpe Silvares, mas sou contra unanimidades!!! srsr

Rui Sousa disse...

Este prémio Nobel espelha bem o desespero em que o mundo está. Eu sou como o outro, não acredito muito em messias mas que "los ai los ai". O Nobel do Obama às vezes faz-me lembrar aqueles cartazes dos estádios que dizem "Liedson resolve".....e o mundo está bem como o meu Sporting.....já não há equipa, só o levezinho para tentar prolongar a ilusão dos adeptos.......( Obama e Liedson, engraçado, nunca tinha pensado nisto......o futebol torna sempre as conversas mais levezinhas... )

Silvares disse...

Caríssimos, hoje li um texto interessante que coloca a pergunta se este é um Nobel do desespero. O cronista, Miguel Gaspar, conclui dizendo: "Mas este prémio prematuro traduz também um sinal de medo. Um desepero escondido. A pergunta que este prémio encerra não é "O que é que ele já fez?" mas sim "O que acontece se ele falhar?". Mas quem disse que a paz é fácil?"
Esta questão parece "responder" às outras que nós colocamos. Ou seja, a resposta ainda anda no segredo de alguns deuses que podem até nem sequer existir...

Silvares disse...

Jorge, não li esse livro. Podes especificar?

Rui, o Liedson ainda é quem me vai dando algumas alegrias...
:-)

expressodalinha disse...

É um livro da chamada Literatura Fantástica, do Michail Bulgakov. Jáo li mais e 10 vezes. Um livro essencial. Uma loucura, uma poesia, uma interpretação política, uma auto-biografia... um livro às camadas que em cada leitura se vão descobrindo. Tem uma descrição do julgamento e morte de Jesus fabulosa, onde o "pilatismo" aparece como doutrina essencial na lógica política e social. Imperdível.

Silvares disse...

Vou seguir-lhe o rasto Nunca li Bulgakov.