terça-feira, outubro 06, 2009

3 atributos


Transparência. Densidade. Narrativa. Leveza, humor e um soco no estômago. Suspensão. Do gesto. Do gosto. Do tempo. O tempo suspenso do espaço em volta. O objecto. Dinamismo. Oposição. Complementaridade. A obra completa. A obra complexa. Rasga o espaço. Divide, une, representa. A mão suspensa na fronteira. Paira no vazio. Aguarda. E foge. Regressa. Dança. Transparência, densidade e narrativa.

5 comentários:

jugioli disse...

O verdadeiro artista maneja outra linguagem, na qual se misturam e se confundem as intenções lúcidas. Nestes artistas, revelam-se, obscuramente, muito mais do que julgam dizer, e mesmo muito do que sabem de si próprio. E como ele, um testemunho total, desta marca direta e particularizada por uma forma de ver e uma forma de transcrever.
A arte não produz objetos, produz sujeitos. Sujeitos pensantes, sem palavras.

Selena Sartorelo disse...

Como é prazeroso encontrar tradutores tão fieis à real significação da palavra arte.
Compartilhar o momento do ato de pensar, sentir e perceber.
Não há aqui espaço para inferir pois tanto o texto quanto o comentário são dignos de muita apreciação.

Parabéns Silvares pelo lindo texto que escreveu.
Parabéns Ju por tanta sensibilidade.

beijos e obrigada.

Eduardo P.L disse...

Faço minhas as palavras da Selena! Afinal tudo já foi dito. Bem dito!

Lina Faria disse...

O limiar tênue entre o real e o imaginário.
Antes arte do que tarde. Belo texto, Silvares...

Silvares disse...

Ju, Selena, Eduardo, Lina tanqiú vérimách.