quinta-feira, junho 04, 2009

O deus do rock





Se Elvis foi King, então Angus é God. Tão simples quanto isso.

Ontem fui assistir ao concerto do AC/DC no estádio de Alvalade, em Lisboa. Fui com a minha filha. Separámo-nos à entrada (ela entrou primeiro) e encontrámo-nos à saída com o mesmo sorriso na cara. O concerto tinha sido uma enormidade, uma autêntica celebração do poder da electricidade feita som. E que som!

Não vale a pena estar para aqui a descrever as tropelias de Angus Young agarrado à guitarra ou os truques marados da cenografia (como um comboio a rebentar a parede do palco vindo a toda a brida das profundezas do inferno), o gajo já anda naquilo vi para mais de 30 anos. Toda a gente sabe como ele toca. O que me passou na cabeça, quando estava aos saltos no meio de uma turba meio furiosa a meia-dúzia de metros do palco, foi que aquele homenzinho de aspecto mirrado a desfazer-se em suor, era um deus da electricidade, um deus extraordinariamente poderoso. O seu corpinho feito de palitos e o imaginário dos temas da banda, não encaixam perfeitamente na ideia que eu (não sabia que) fazia do que é um deus e, no entanto, a multidão adorava-o em plena celebração pagã e eu com ela.

Se descontarmos o folclore meio ridículo do merchandising (andavam milhares de pessoas com uns corninhos de plástico electrificados) e as péssimas animações que passaram no écrã (começou logo com uma cena de um comboio, o tal que haveria de entrar pelo palco no meio de uma nuvem de fumo, uma cena de fugir!), tudo o resto foi excelente.

Aquela parte do espectáculo em que Angus Young passa para aí uns 20 minutos a apertar o pescoço da guitarra e esta se desfaz em desculpas e lamentos maravilhosos em bajulação ao seu deus foi uma coisa absolutamente de outro mundo. O mundo meio bacoco do deus da electricidade e do rock, o mundo de Angus (já não tão) Young (mas, ainda assim muito Young). Espectacular!!!

10 comentários:

disse...

....já esta não é a minha praia !
:-(... ;-)

Eduardo P.L disse...

Não vou plagiar o comentario da Vi, mas devo confeçar que sou absolutamente analfabeto nessa religião, e agnóstico com relação a deuses da música! Da atual, pior!

claudio boczon disse...

Taí uma paixão adolescente cujo fogo abrandou mas a brasa ainda permanece, basta assoprar...

roserouge disse...

Também fui, também adorei, nunca os tinha visto! Foi um grande concerto, sim!

peri s.c. disse...

Creio que esses mega-astros do rock tem sensações só equiparáveis as de bons jogadores de futebol ao fazer gols importantes em estádios cheios.
Poucos seres humanos tem acesso a esses extases.

Silvares disse...

Ví, esta já era a minha praia quando tinha 15 anos. Continuo a ir lá dar uns mergulhos agora que tenho 46. A água tem uma tempeatura extraordinária!
:-)

Eduardo, na verdade também não sou muito devoto desses deuses mas, de vez em quando, gosto de ir assistir a uma missa campal.
:-D

Claudio, é isso mesmo, basta um soprozinho e logo é ateado um incêndio florestal.
:-)

Rose, fiquei lavadinho por dentro! Há já algum tempo que não libertava tanta energia negativa e a trocava por outra, bem mais positiva, como foi o caso. Bastava olhar para as pessoas, no fim do concerto.

Peri, realmente não sei como será nem posso sequer imaginar. Esse Angus Young tem ar de não conseguir articular um raciocínio a direito (não faço ideia, parece...), ao microfone soltou apenas uma espécie de grunhidos, fez uma caretas e fez o gesto dos cornos com os dedos enfeitando a própria cabeça com eles. A conversa dele é outra, é feita com electricidade e cordas de guitarra. Nessa conversa o homem é um profeta!

MarinaRuiz disse...

Não há nada melhor para libertar todo o stress do que um concerto. Caramba, bem gostava de ter ido, já me andam a fazer falta. Toda aquela liberdade... Inevitavelmente saímos sempre mortos fisicamente, mas com um sorriso de orelha a orelha impossível de esconder. É o único sítio que sei que posso ir com uma t-shirt enorme e toda despenteada sem que ninguém me olhe de lado ou se ria de mim. It feels so good. :)

Silvares disse...

Marina, um joguinho de futebol ou uma corrida pela praia também costumam ter bons resultados anti-stress, mas, estou em crer, nada se poderá comparar a duas de AC/DC ao vivo. Ouvir um CD em altos berros também ajuda mas está longe de ser comparável.
:-)

Alice Salles disse...

Respeito muito todos do AC/DC e respeito o que fizeram dentro da história do Rock, mas esse nome ANGUS é de me embrulhar o estômago! Coitado do moleque...

SERGIO RODRIGUES disse...

Eu por acaso tambem fui ver os AC/DC em alvalade . Eu sou fanatico por eles . Foi o primeiro concerto deles que eu fui e era o meu sonho ve-los ao vivo . Foi um espetaculo . E ja agora Elvis Presley e AC/DC são sempre "GODS " . Um abraço .