segunda-feira, agosto 28, 2006

O meu Tio

Uma ida a Londres não dispensa a visita. É como se visitasse um velho tio. Lá está ele, na sua sala, mudo e quedo, a olhar sempre na mesma direcção com um ar de quem não deve nada a ninguém. Digno e eterno.
25,5X19 cm. Uma pinturinha inesquecível. Uma coisa assim, tão perfeita, devia ser objecto de veneração, devia rodar por todos os lares deste mundo e do outro. Um dia em cada lar para que todas as pessoas pudessem sentir a profundidade do que são. Para que todos nos pudessemos sentir um pouco mais humanos nem que por apenas uns minutos.
O Homem do Turbante é um milagre de técnica e arte, um ícone do Ser Humano.

Pronto, agora que já me entreguei à lamechice posso dizer o que quero.
Os museus de Londres, pelo menos aqueles que reunem as maiores obras de arte, são gratuitos. Bem têm à entrada uns grandes paralelepípedos em acrílico com o pedido de 3£ para ajudar a manter a coisa mas, em boa verdade, poucos serão os que fazem a vontade à gerência a avaliar pelos trocos que enfeitam o fundo da caixa ao fim do dia.
Um passeio até Trafalgar Square, sempre cheia de gente, turistas na maior parte dos casos, leva-nos defronte à National Gallery. Depois é só entrar e avançar decididamente até à saleta onde se encontra o Homem do Turbante, mesmo ao lado do Casal Arnolfini, outro milagre saído das mãos de Van Eyck.
Viver ali perto é um privilégio.

Estou certo que não foi a última visita que fiz aquele meu tio. Vou lá voltar. E ele há-de lá estar, impávido e sereno, à minha espera.

2 comentários:

alice disse...

É dos meus preferidos! Vou lá ver Masaccio,Duccio e Mantegna, sempre que posso. O site é incrível. Há uma secção onde se pode encomendar, ver e sacar o espólio do museu...
espreita:
http://www.nationalgallery.org.uk/cgi-bin/WebObjects.dll/CollectionPublisher.woa/wa/index?indexLetter=A

Silvares disse...

Um site realmente espectacular! Obrigado pela informação.
:-)