quarta-feira, abril 24, 2013

39 anos

Passam amanhã 39 anos sobre a Revolução de 25 de Abril. Todos os anos este dia é recordado com saudade, por uns, com desprezo, por outros e mais uns quantos sentimentos e sensações desencontradas.

O povo vai saindo à rua com fulgor decrescente. Dos que fizeram a Revolução muitos já morreram, outros quantos estão cansados, restam muito poucos entusiastas. É um dia bom para vender cravos vermelhos embora já tenha sido melhor para esse negócio.

Logo mais à noite cumpre-se a tradição almadense (Almada ainda é uma cidade vermelha!) e a Praça de São João Baptista vai confundir-se com a Praça da Liberdade numa festa com discursos e espectáculos musicais (este ano serão Boss AC e Sérgio Godinho a fazer as honras) rematada pelo tradicional fogo-de-artifício.

O povo vai beber umas cervejolas, cantar a Grândola Vila Morena, muitos erguerão punhos cerrados e gritarão palavras de ordem de pendor revolucionário... 39 anos.

39 anos, em tempo histórico, são quase nada e, no entanto, estes 39 anos são uma parte considerável das nossas vidas, são quase toda a nossa vida.

Logo mais à noite estarei lá, no meio da multidão. Uma coisa sei que vou dizer, isso é quase certo: VIVA! Vou eu dizer, quando alguém gritar ao microfone: VIVA O 25 DE ABRIL! Sempre.

5 comentários:

Anónimo disse...

39 anos é mesmo uma vida!
Há que se comemorar sempre, sem nenhuma dúvida!
Parabéns a todos pela conquista!
Li F N

Silvares disse...

Li, tem sido bonito. Veremos como será o 40º aniversário.
:-)

Eduardo P.L. disse...

Viva o que foi e pode continuar a ser bom.

the dear Zé disse...

VIVA PORRA!

Silvares disse...

Eduardo, a gente tenta.
:-)

Zé, ora bem!!!